A crise e as soluções

Embora não  tenha  uma origem financeira “esta crise do ponto de vista económico vai ser ainda pior do que a que começou  em 2008”, declarou Durão Barroso em entrevista ao Expresso ( edição de 28 de Março). Nascendo de uma pandemia, ela vai assumir “aspectos financeiros”, destruindo  valor. A solução, afirmou o ex-presidente da Comissão Europeia, “está fora do âmbito económico e financeiro: está na vitória sobre a pandemia.”

Durão Barroso, chairman  no Goldman Sachs, analisa com esperança este momento. Considera que  o dia seguinte desta crise vai ser mais curto, por diversas razões:  o sistema financeiro  está melhor;  “houve também menos  timidez  na reação  orçamental e “as medidas  orçamentais a nível nacional são sem precedentes.”  Duas outras medidas importantes se juntam a estas. Por um lado, a Comissão Europeia suspendeu o Pacto de Estabilidade, flexibilizando o  limite e cumprimento do défice de 3%,  por outro  o Banco Central Europeu começou a comprar dívida e sem limites.

E, neste panorama de dificuldades múltiplas e a crescerem, uma outra solução, que ainda está em discussão, é a mutualização da dívida europeia – ou seja  que um conjunto de países passa a responder solidariamente pelo cumprimento das obrigações de qualquer um dos membros desse conjunto. E, aqui, é que «a porca torce o rabo». E quem  está a torcer o rabo são a Holanda, a Alemanha, a Áustria e a Finlândia, a Polónia, a Hungria,  em desacordo com outro grupo de países , entre os quais Itália, França, Espanha e Portugal.

Foi neste contexto de negação que António Costa disse ser «repugnante» o discurso  do ministro da Finanças holandês,  (que já afirmara  que os povos do sul da Europa  queriam  o dinheiro do seu país, para o gastarem em copos e mulheres), e apelidando de «mesquinhez» o que se estava a passar  com o comportamento individualista  de alguns países europeus, neste momento tão crítico.

Cabe-nos perguntar:  Que Europa temos? Para que serve a Europa?  Há uma Europa para os momentos bons e nos momentos maus ou difíceis é cada um por si? Continuamos a ter uma guerra Norte-Sul? Solidariedade e Coesão são meras palavras ? Será que nos devemos admirar ou já sabíamos que era assim?

Ribeiro Aires

Partilhar:

Outros artigos:

Menu