A pátria vos contempla?

Por: AF Caseiro Marques

1 – PADRE ANTÓNIO VIEIRA. Só um ignorante, como já muitas pessoas escreveram e disseram, podia ter a veleidade de fazer o que fez à estátua deste grande missionário, localizada em Lisboa. Ignorante e miserável covarde, pois esperou pela caída da noite para atentar contra tudo o que o Padre António Vieira representa e o património cultural, que é de todos. Sabemos bem que não está em causa o que o Padre Vieira teria feito – que é redondamente mentira, no que à escravatura diz respeito – mas principalmente, o que eles pretendem é atacar a religião cristã. Eles lá saberão porquê. Mas esquecem-se que é à religião cristã que devem muito daquilo que são eles e a Europa, o Brasil e no fundo todo o mundo. Que observem quais são os países que lhes concedem a liberdade para se manifestarem livremente e mais livremente ainda expressarem as suas opiniões. Depois apareçam. Ou desapareçam e vão manifestar-se para países onde outras religiões são únicas ou maioritárias: China é um exemplo. É lá que vigora um regime que, alegadamente, tem por base a mesma ideologia que a maioria dessas pessoas professa.

Quem assim procede não é digno de viver numa sociedade democrática e livre, pois usa a sua liberdade para menosprezar a cultura, ofender outros portugueses e causar danos a um património. Isto sem falar no simbolismo da estátua em si mesma, com a qual se pretendeu homenagear um dos maiores vultos da Igreja, da cultura e portugalidade, através do seu trabalho em favor das populações indígenas do Brasil.

Muito lhe devem, por outro lado, também, os brasileiros pelo contributo para sedimentar a cultura e a língua portuguesa que não deixa de constituir um elemento muito forte de união entre todos os brasileiros independentemente da cor da sal pele, das suas origens e proveniências. Não sei se ainda se pode continuar a dizer “A Pátria honrai que a Pátria vos contempla!” Certas pessoas que por aí andam sabem lá o significado da palavra Pátria e do que ela representa!

Aquando da celebração dos quinhentos anos dos descobrimentos e consequente chegada do cristianismo aos povos da América Latina, também ocorreram algumas manifestações contra essa celebração. E na vanguarda das manifestações estiveram alguns grupos de cristãos. Diziam eles que não tinham necessidade de comemorar, praticamente pelas mesmas razões pelas quais agora alguns energúmenos se de dedicam a vandalizar estátuas e outros monumentos e a denegrir a memória de quem lhes levou a civilização, ainda que nem sempre tenham respeitado os seus direitos. Como se nós, os que agora sofremos esses ataques, directa ou indirectamente, tivéssemos alguma coisa a ver com o que se passou há 500 anos.

Esquecem-se que todos os acontecimentos têm de ser analisados à luz dos conhecimentos e das leis e mentalidade da época em que ocorreram. Mas eles não se importam nada com isso, ignorantes como são e pelos vistos querem continuar a ser, ao não aceitarem as razões que a grande maioria das pessoas lhes apresenta para os condenar pelos seus actos disparatados, imbecis, criminosos e que, como tal, devem ser severamente punidos, sob pena de, a continuarem nessa senda, ninguém se vir a entender no futuro.

E que nãos esqueçam que violência conduz a mais violência.

Não está em causa a brutalidade de um polícia que qualquer ser humano minimamente informado, bem formado e justo tem de condenar. Aquilo não se faz a um animal, quanto mais a um ser humano nem que ele seja apontado como um grande criminoso. Não se faz! Mas isso não justifica as tropelias e os desacatos, prejuízos e revoltas que estão a acontecer por esse mundo fora, mas designadamente nos USA e na Europa.

2 – REDES SOCIAIS. Não sou muito de andar a escrever nas redes sociais, embora tenha de confessar que por vezes, as conversas que ali se encontram merecem resposta adequada tal a ignorância e petulância de algumas pessoas. Por isso fico surpreendido quando alguém me informa que A ou B se refere a mim nas redes sociais, desconhecendo eu onde tal ocorre para poder responder. Eu escrevo aqui o que tenho de escrever ou digo directamente à pessoa, seja por escrito seja cara a cara.

3 – ALMIRANTE VIEIRA MATIAS. Tive o privilégio de conhecer este grande Almirante da nossa Marinha de Guerra. Convivi com ele algumas vezes a propósito das reuniões da Associação de Oficiais da Reserva Naval, de que ele era sócio Honorário, para além de outras manifestações relacionadas com a Marinha onde prestei serviço como oficial ao longo de onze anos. Foi Fuzileiro, tal como eu, e comandou um Destacamento de Fuzileiros Especiais no difícil, teatro de operações da Guiné. Foi realmente uma figura ímpar da nossa Armada e bem merece todos os elogios que lhe têm sido feitos. Bem continuamos a necessitar de homens com este Oficial General das nossas Forças Armadas. Desempenhou as funções de Chefe do Estado-maior da Armada ao longo de vários anos, com muita dignidade, saber e rigor.

Partilhar:

Outros artigos:

Menu