Águas do Norte com novas infraestruturas de saneamento básico em Esposende

A fim de dar resposta ao apelo das populações para a ampliação do sistema de saneamento no concelho de Esposende, a empresa Águas do Norte, SA, entidade responsável pela drenagem e tratamento das águas residuais “em alta”, com sede em Vila Real, está a construir ao longo do Ribeiro do Peralto, em Marinhas, numa extensão de 1.136 metros, o denominado “Intercetor de Vila Chã”.

A primeira fase desta obra, cujo valor ascende a €115.697,82, e tem um prazo de execução de três meses, permitirá servir cerca de 80 habitantes da Rua 5 de Agosto, da Rua Fonte da Telha e da Rua da Ponte Nova, onde fará a interceção e recolha das águas residuais proveniente das redes de saneamento da Esposende Ambiente.

Numa segunda fase este intercetor de águas residuais chegará à freguesia de Vila Chã, o que permitirá ao Município de Esposende e à Esposende Ambiente concretizar obras de infraestruturas de saneamento naquela freguesia.

Tendo subjacente o cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Agenda 2030 da ONU, o Município de Esposende e a Esposende Ambiente mantém, assim, a estratégia de realizar os trabalhos de infraestruturação de saneamento básico, que permitirão alcançar os melhores indicadores ambientais e de serviço público.

A Águas do Norte integra o Grupo AdP – Águas de Portugal e iniciou a atividade a 30 de junho de 2015 e, enquanto entidade concessionária do sistema multimunicipal de abastecimento de água e de saneamento do Norte de Portugal, em “alta”, é responsável pela captação, tratamento e abastecimento de água para consumo público e pela recolha, tratamento e rejeição de efluentes domésticos, urbanos e industriais em 63 Municípios que integram este sistema.


Assume ainda a exploração e gestão do sistema de águas da região do Noroeste, em “baixa”, que envolve 8 Municípios da região, reunindo numa única entidade gestora, os serviços de abastecimento de água e de saneamento de águas residuais em “alta” (prestados aos Municípios) e em “baixa” (prestados aos utilizadores finais, os munícipes), de forma regular, contínua e eficiente.

Menu