Alto Tâmega vai ter Escola Superior de Hotelaria e Bem-Estar pelo IPB

Esta Escola iniciará com Licenciaturas em áreas ligadas aos setores do turismo e bem-estar

O projeto foi apresentado hoje, dia 23 de julho, no AQUAVALOR em Chaves, e contou com a presença do Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor, numa cerimónia em que estiveram ainda a ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa, o Secretário de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, João Sobrinho Teixeira e a Secretária de Estado da Valorização do Interior, Isabel Ferreira.

A proposta, já homologada pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior para a instalação de uma “Escola Superior de Hotelaria e Bem-Estar” na região do Alto Tâmega foi promovida pela Comunidade Intermunicipal do Alto Tâmega, o AquaValor – Centro de Valorização e Transferência de Tecnologia da Água e o Instituto Politécnico de Bragança.

A criação desta escola encontra-se alinhada com a estratégia definida e apresentada pelos seis Municípios do Alto Tâmega em 2018, na qual a Capacitação e a Incorporação de Conhecimento na valorização do Endógeno tem sido uma das prioridades a desenvolver.

Com sede no “Campus da Água”, esta nova Escola será inicialmente tripartida entre as Instalações do AquaValor, as Instalações da Escola Profissional de Chaves e também as instalações do Balneário Pedagógico de Vidago, estando direcionada essencialmente para a valorização do cluster da água e do termalismo.

Vai iniciar com as Licenciaturas em Direção Hoteleira, Fisioterapia, Termalismo e Restauração e pretende atrair alunos nacionais e internacionais num volume de inscrições entre 1500 a 2000, num impacto direto e indireto para a região de cerca de 9 milhões de euros anuais.

Simultaneamente o Instituto Politécnico de Bragança irá também manter os vários Cursos Técnicos Superiores Profissionais que já se encontram a funcionar, nomeadamente “Termalismo”, “Informática”, “Restauração e Inovação Alimentar”, “Estética, Cosmética e Bem-Estar”, “Promoção Turística e Cultural”, e “Qualidade e Tratamento de Águas e Efluentes” e vários cursos de Pós-Graduações. Para o autarca flaviense “este projeto valoriza o trabalho que tem vindo a ser realizado nos últimos três anos, sendo este mais um passo decisivo para a valorização da região, que resulta de uma parceria muito intensa, próxima e solidária num contributo constante de muito trabalho que procura trazer para o território mais conhecimento, maior capacitação, inovação e valorização dos recursos endógenos, ganhando valor e escala através da diferenciação. Sem dúvida,  é o projeto mais relevante e o que mais falta faz para a região. É o projeto que verdadeiramente pode transformar todo o perfil económico, empresarial e social do Alto Tâmega, através do conhecimento, inovação, investigação e crescimento sustentáv

Menu