InícioPolíticaAntónio Costa marcou presença no 2º Congresso da Federação do PS de...

António Costa marcou presença no 2º Congresso da Federação do PS de Vila Real

Decorreu em Sabrosa, no passado dia 19 de novembro, o 20º Congresso da Federação Distrital de Vila Real do Partido Socialista. Neste congresso foi amplamente debatida e aprovada, por unanimidade, uma moção de orientação política, cujo primeiro subscritor é Luís Machado, eleito recentemente presidente da Federação do PS Vila Real.

A presidente da Comissão Organizadora do Congresso da Federação, Helena Lapa, no decorrer da sessão de abertura salientou o orgulho e a honra de o concelho de Sabrosa em ser, pela primeira vez na história anfitrião deste evento. O presidente da Comissão Política Concelhia de Sabrosa, José Manuel Marques, reforçou o orgulho e a honra da estrutura local socialista em receber o Congresso da Federação.

Durante sessão de abertura, André Abraão, presidente da Juventude Socialista Distrital, frisou a importância da inclusão dos jovens nas decisões políticas. Ana Daniela Alves, presidente da estrutura federativas das Mulheres Socialistas – Igualdade e Direitos, disse que é necessário continuar a lutar pelos direitos das mulheres e em busca de uma sociedade assente na igualdade de oportunidade e afirmação dos géneros. Ainda durante a sessão de abertura, Francisco Rocha, presidente da Federação cessante, fez um balanço dos oitos anos em que liderou a federação socialista, assegurando que nos seus mandatos procurou sempre “acrescentar o capital político do PS no distrito, na região e no país”. Assegurou ainda que as importantes vitórias obtidas nos seus mandatos se deveram ao contributo inexcedível dos militantes e simpatizantes do Partido Socialista.

No decorrer do congresso socialista, que contou com inúmeras intervenções dos mais de 200 delegados presentes, marcou presença o Secretário-Geral do PS, António Costa. No seu discurso, agradeceu o trabalho desenvolvido por Francisco Rocha e desejou muitos sucessos a Luís Machado no mandato que agora inicia. O líder socialista vincou que o que se espera do PS é a capacidade de “manter nervos de aço”, honrar com determinação a maioria que lhe foi confiada, saber construir o diálogo de que o país precisa, mas sem abdicar dos compromissos que resultam da confiança dos portugueses. Na sua intervenção, o também primeiro-ministro reforçou que os tempos que estamos a atravessar “são mais difíceis” do que se antecipava à data das últimas legislativas e que não depende do Governo “que a Rússia acabe com a guerra” ou “fixar por decreto o preço do gás e do petróleo no mercado internacional”. “Mas para tudo o que depender de nós para enfrentarmos esta crise, podem contar connosco, que o faremos sem desistir dos grandes objetivos estratégicos da governação, podem ter a certeza de que não nos vamos distrair. Temos de estar mobilizados a 100% para vencer esta crise e cumprir esta legislatura, honrando os nossos compromissos”, salientou

Na sessão de encerramento, para além da presidente do Congresso, Helena Lapa, tomaram a palavra Ana Catarina Mendes, dirigente nacional do PS e o presidente da Federação Luís Machado.

O recente eleito presidente da estrutura distrital socialista pretende “naturalmente contribuir para a consolidação” do partido no território, “em prol dos interesses e bem-estar das populações”. Mas vai mais longe afirmando que “chegou a hora de tratar de forma diferenciada o que é diferente. E para Luís Machado o distrito de Vila Real é diferente, e quer “que as políticas de coesão tenham um verdadeiro impacto na resolução dos nossos problemas e dificuldades, tendo bem presente as nossas especificidades.”

Para o líder distrital socialista é necessário continuar a lutar “por um novo modelo de governação – a regionalização”. Convicto que é preciso ainda “reforçar, melhorar e intensificar o processo de descentralização”.

Luís Machado prometeu “um Distrito forte, competitivo, coeso, solidário, mas com pessoas”. Anunciou ainda que tem como objetivo “trabalhar e lutar pela felicidade e bem-estar” dos transmontanos e durienses “melhorando as nossas condições, os nossos serviços e criar modelos de vida atrativos para os jovens, profissionais e para as famílias”.

Neste congresso federativo foram ainda eleitos os novos órgãos distritais com uma votação superior a 95%. A lista candidata à Comissão Política da Federação foi encabeçada por Nuno Vaz, a Comissão Federativa Fiscalização Económica e Financeira por Emanuel Rodrigues Costa, e a Comissão Federativa de Jurisdição por José Carlos Rendeiro.

RELACIONADAS
Publicidade

Últimas notícias