Arguido por incêndio florestal em Alijó

O Comando Territorial da GNR de Vila Real, através da Equipa de Proteção Florestal (EPF) do Núcleo de Proteção Ambiental (NPA) de Vila Real, no dia 25 de junho, constituiu arguido um homem de 46 anos por incêndio florestal, no concelho de Alijó.

No decorrer das diligências de investigação e determinação das causas do incêndio florestal sobre uma ignição ocorrida em 18 de junho, apurou-se que terá sido provocado por um trator, através de uma capinadeira, que em combinação com as altas temperaturas que se faziam sentir na altura, deram origem à ignição dos combustíveis finos existentes no terreno, tendo consumido cerca de 0,3 hectares de mato.

No seguimento das diligências policiais, o homem foi constituído arguido, e os factos foram comunicados aoTribunal Judicial de Alijó.

A GNR relembra, ainda, que: as queimas e queimadas são das principais causas de incêndios em Portugal; a realização de queimadas, de queima de amontoados e de fogueiras é interdita sempre que se verifique um nível de perigo de incêndio rural «muito elevado» ou «máximo», estando dependente de autorização ou de comunicação prévia noutros períodos;

Para evitar acidentes siga as regras de segurança, esteja sempre acompanhado e leve consigo o telemóvel.

A Guarda Nacional Republicana, através do Serviço da Proteção da Natureza e do Ambiente (SEPNA), tem como preocupação diária a proteção ambiental e dos animais. Para o efeito, poderá ser utilizada a Linha SOS Ambiente e Território (808 200 520) funcionando em permanência para a denúncia de infrações ou esclarecimento de dúvidas.

Menu