Assembleia Municipal aprovou Relatório de Gestão e Contas de 2019 da Câmara de Boticas


Realizou-se esta segunda-feira, dia 15 de junho, no Salão Nobre dos Paços do Concelho e cumprindo as normas de distanciamento e proteção aconselhadas pelas Autoridades de Saúde devido à pandemia de Covid-19, uma sessão ordinária da Assembleia Municipal de Boticas.

Ao longo do encontro foram apreciados e votados vários assuntos de interesse municipal, entre os quais o Relatório de Gestão e Contas correspondente ao ano de 2019, tendo sido aprovado por maioria.

No relatório apresentado destaca-se, sobretudo, o facto de a Câmara de Boticas ter transitado de ano com um saldo orçamental de 1.695.865,73€, valor que evidencia o rigoroso controle das despesas que o executivo camarário liderado por Fernando Queiroga tem vindo a implementar no exercício das suas funções.

Em 2019, a Câmara de Boticas conseguiu uma poupança corrente efetiva de 696.420,28€, montante que expressa a capacidade da autarquia conseguir, através da receita corrente, suportar os custos associados ao funcionamento dos serviços municipais.

Relativamente à divida bancária de médio e longo prazo, em 2019 foi de 318.164,14€, registando-se uma diminuição de 221.439,03€ em comparação com o ano anterior. Quanto à divida a curto prazo registou-se, a 31 de dezembro de 2019, o valor de 190.902,28€.

No que diz respeito ao prazo médio de pagamento a fornecedores fixou-se em 14 dias.

Quanto à execução orçamental são de destacar os indicadores obtidos com a boa taxa de execução das receitas correntes, que se situou no 98,10%, enquanto que as despesas correntes se fixaram em 79,38%, garantindo assim um bom grau de cumprimento das previsões.

Por sua vez, as despesas de capital tiveram um desempenho favorável, com a taxa de execução a estabelecer-se nos 61,26%.

No ano de 2019, e à semelhança do que tinha acontecido no ano anterior, a rubrica Passivos Financeiros ficou com o valor de zero, o que significa que a Câmara de Boticas não contraiu qualquer tipo de empréstimo bancário.

Por último, as Grandes Opções do Plano (GOP) registaram uma taxa de execução de 65,88%, atingindo um valor total de 5.686.985,67€, dos quais 2.322.781,54€ dizem respeito ao Plano Plurianual de Investimento (PPI) e os restantes 3.364.204,13€ ao Plano de Atividades Municipal (PAM). O grau de execução referente aos dois planos foi de 61,97% e de 68,88%, respetivamente.

Segundo o Presidente da Câmara de Boticas, Fernando Queiroga, “este relatório é o reflexo da gestão transparente levada a cabo pelo executivo, sendo ainda a prova de que temos conseguido gerir as contas do município de forma equilibrada”, acrescentando que “este é o motivo pelo qual continuamos a ter uma situação financeira estável”.

Menu