Autarquia de Lamego intensifica atuação no âmbito da pandemia Covid-19

A Câmara Municipal de Lamego, em linha com a deliberação do Governo em manter o concelho em situação de alerta, decidiu prolongar o reforço das normas de segurança face ao atual estado epidemiológico do município. O objectivo é alertar a população para o cumprimento das regras higiénico-sanitárias estipuladas pela DGS e impedir a propagação do novo coronavírus.

Lamego está entre os 23 concelhos do país que se mantém em situação de alerta, segundo as conclusões apresentadas ontem pelo Conselho de Ministros. Nesse sentido, a Câmara Municipal de Lamego está já a intensificar e a reforçar diversas ações de sensibilização e fiscalização com o intuito de assegurar que todas as normas higiénico-sanitárias sejam cumpridas pela população.

Tendo em conta o atual contexto epidemiológico no concelho, Ângelo Moura, presidente da Câmara Municipal de Lamego, sublinha a importância do cumprimento de todas as regras de segurança: «Num momento em que se assiste à reabertura gradual de diversos setores da economia, apelo a que todos os lamecenses cumpram as  normas de saúde pública, indicadas pela DGS, para assim conseguirmos diminuir o risco de contágio. O uso da máscara de protecção e o distanciamento social são fundamentais».

Paralelamente, a autarquia está também a proceder a um controlo diário de todo o processo de vacinação, em estreita colaboração com a Administração Regional de Saúde e com o Serviço Municipal de Proteção Civil, ao mesmo tempo que está a reforçar a testagem para a Covid-19 junto de grupos de risco.

Na última semana, o Centro de Vacinação de Lamego, instalada no Centro Multiusos, registou um número elevado de vacinação entre os munícipes, ultrapassando as 7 mil pessoas vacinadas, o que representa 28,19% da população.

O Centro apresenta, actualmente, um pico de vacinação médio na ordem das 300 administrações por dia, sendo que desde o início da sua actividade já foram alcançadas várias fases importantes, nomeadamente a vacinação dos grupos prioritários (idosos com mais de 80 anos e utentes com determinadas co-morbilidades e idade superior a 50 anos) e dos docentes e não docentes do setor escolar. Neste momento, o Centro de Vacinação tem ainda como objetivo vacinar toda a população com idade superior a 60 anos.

Ângelo Moura realçou que «estamos a atravessar uma fase fulcral no combate ao novo coronavírus e, nesse sentido, é muito importante sublinhar também que o nosso Centro de Vacinação dispõe de condições e de capacidade para vacinar todas as pessoas referenciadas pelas autoridades de saúde.»

Menu