Barroso como Património Agrícola Mundial adere ao GIAHS

Após a distinção da região do Barroso, constituída pelos municípios de Boticas e Montalegre, como Património Agrícola Mundial, pela Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), será assinado no próximo sábado, dia 26 de janeiro, em Montalegre, o acordo de parceria entre várias entidades, para o sítio Globally Important Agricultural Heritage Systems (GIAHS) do Barroso, por forma a preservar o título atribuído em abril passado, em Roma.

Além da assinatura do plano de ação a ser implementado nesta região, a primeira reconhecida em Portugal, será ainda criada a “Plataforma GIAHS do Barroso”.

A cerimónia vai ser presidida pelo Ministro da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural, Capoulas Santos, e contará, entre outros, com a presença do Presidente da Câmara Municipal de Boticas, Fernando Queiroga.

Recorde-se que esta distinção foi o culminar de um processo iniciado em 2016, cuja candidatura foi elaborada pela Associação de Desenvolvimento da Região do Alto Tâmega (ADRAT) e formalizada junto da FAO pelo Ministério da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural. Este processo contou também com o envolvimento das autarquias de Boticas e Montalegre, e de duas instituições de Ensino Superior, a Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD) e a Universidade do Minho (UM).

Na base da classificação deste território como Património Agrícola Mundial encontra-se o sistema agro-silvo-pastoril do Barroso, um importante método de proteção e promoção do património agrícola, sustentado pela preservação da agricultura tradicional e conservação do meio ambiente

Menu