BE de Vila Real preocupado com situação “caótica” do Centro de Recolha e Proteção Animal


O núcleo concelhio do Bloco de Esquerda (BE) de Vila Real está preocupado com a “situação caótica” do Centro de Recolha e Proteção Animal do Vale do Douro Norte, defendendo que o seu estado atual é “o reflexo da falta de atenção a que o mesmo foi votado por parte das entidades que compõem a sua entidade e gestão”.

“O Centro de Recolha e Proteção Animal do Vale do Douro Norte tem como base territorial sete municípios: Vila Real, Alijó, Sabrosa, Murça, Santa Marta de Penaguião, Mesão Frio e Peso da Régua, contemplando um modelo rotativo de gestão que, para além de se mostrar como incapaz, serve também como argumento para justificar a (in)ação do Município de Vila Real na resolução dos problemas existentes”, pode ler-se no comunicado.

No mesmo documento, o BE acrescenta que, “em sede de Assembleia Municipal de Vila Real de 18 de dezembro de 2017”, o Município admitiu a existência de um problema no Centro de Recolha e Proteção Animal do Vale do Douro Norte, indicando que pretendia “alertar a Associação de Municípios para o desconforto institucional de apoiar uma instituição que funcione nestes moldes, equacionando outras formas de resolver o problema”.

Segundo o BE de Vila Real, volvidos 4 anos, o problema persiste e “está agravado”. “O Município mantém a inação, o Centro de Recolha e Proteção Animal do Vale do Douro Norte permanece como uma entidade imutável, estagnada e desligada da necessidade crescente de uma resposta condizente com as boas práticas quer de bem–estar animal, quer de um modelo de gestão eficiente que permita abandonar o obscurantismo do atual”, declarou o Bloco de Esquerda, sublinhando que esta problemática precisa de ações “urgentes e duradouras que não se coadunam com promessas vazias de inversão de práticas que se perpetuam indefinidamente para desespero de quem assiste impotente”.

Fotografia meramente ilustrativa

Menu