Boticas e Montalegre oficializaram criação do ValorBarroso

Decorreu na passada sexta-feira, dia 25 de junho, em Montalegre, a assinatura do consórcio para a criação do Centro de Investigação e Inovação em Sistemas Biológicos do Barroso – ValorBarroso.

A cerimónia contou, entre outros, com a presença do Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor, da Secretária de Estado da Valorização do Interior, Isabel Ferreira, do Secretário de Estado do Tesouro, Miguel Cruz, do Presidente do Instituto Politécnico de Bragança (IPB), Orlando Rodrigues, do Presidente da Câmara de Boticas, Fernando Queiroga, e do seu congénere de Montalegre, Orlando Alves, e ainda com a participação, por videoconferência, da Ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa.

A criação do centro ValorBarroso resulta da colaboração entre diversas entidades, entre as quais os municípios de Boticas e Montalegre, que constituem o Barroso, e o Instituto Politécnico de Bragança (IPB) e tem com objetivos promover atividades de ensino e investigação baseadas na agricultura e desenvolver novas centralidades de caráter científico e cultural de relevância internacional que contribuam para a divulgação e desenvolvimento da região.

Segundo o Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor, “é particularmente importante instalar no Barroso um centro de investigação que permita estudar os sistemas agroindustriais deste território, classificado como Património Agrícola Mundial, pela FAO”, acrescentando que “com a assinatura deste protocolo será possível criar um pólo associado ao IPB, comprometendo-se a Fundação para a Ciência e Tecnologia a financiar dez bolsas de doutoramento por ano e a dstelecom a instalar fibra ótica para seja possível o estudo desta região e do seu património”.

O Presidente da Câmara de Boticas, Fernando Queiroga, referiu que “com a oficialização do ValorBarroso foi dado mais um passo importante e com grande significado para a região e também para os Concelhos de Boticas e Montalegre. Há três anos quando fomos distinguidos pela FAO sabíamos que era necessário promover, valorizar e preservar este território e o seu vasto património e isso só se torna possível com conhecimento e inovação”.

O encontro permitiu ainda para a assinatura do contrato relativo ao projeto de criação do Centro SIPAM/GIAHS Barroso Património Agrícola Mundial e a apresentação pública dos selos alusivos ao reconhecimento atribuído ao Barroso, pela Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura.

Menu