Boticas: sessão de esclarecimento sobre iniciativas no âmbito da Floresta

O Município de Boticas, em parceria com a Cooperativa Agrícola de Boticas (Capolib), promoveu esta terça-feira, dia 30 de março, uma sessão de esclarecimento junto dos representantes dos Conselhos Directivos dos Baldios e Juntas de Freguesia do concelho gestoras de baldios, sensibilizando para as novas realidades e responsabilidades que resultam do novo Quadro Comunitário de Apoio, onde é dado um relevo mais substantivo no que à floresta, ao ambiente e à biodiversidade socioambiental diz respeito.

Presente nesta reunião, o Presidente da Câmara de Boticas, Fernando Queiroga, reforçou a necessidade de “não olhar só aos financiamentos, mas também à responsabilidade que as novas exigências acarretam”, sublinhando que “este novo cenário nunca porá em causa a autonomia nem a autoridade das propriedades florestais, implicando apenas que estejam mais organizados”.

O Presidente da Câmara reforça ainda que “é fundamental continuarmos a apoiar o setor da agricultura pelo peso que o mesmo representa na economia do concelho. A este propósito, Fernando Queiroga lembrou que a Câmara Municipal contia a “apoiar os agricultores com iniciativas que se têm revelado muito válidas e importantes na sustentabilidade da actividade agrícola, quer no apoio dado à instalação de jovens agricultores, quer através dos apoios à sanidade animal”, revelando ainda que irá entrar brevemente em vigor “um apoio à produção apícola, que terá efeitos retroactivos a janeiro deste ano”.

A par da agricultura, a Floresta tem também um grande peso na economia do concelho, razão pela qual, garante Fernando Queiroga, “tem vindo a ser feito um investimento progressivo na defesa da floresta, também em parceria com o Instituto da Conservação da Natureza e Florestas (ICNF), contando o concelho de Boticas com 5.150 hectares de floresta já certificados, sendo intenção conseguir a certificação da sua totalidade”.

O Presidente da Câmara informou ainda que a partir do próximo mês de maio arrancará o cadastro dos prédios rústicos, pedindo o empenhamento a todos, em particular aos conselhos diretivos e às juntas de freguesia, para que reste trabalho seja desenvolvido com o maior rigor e celeridade.

Menu