Candidato do PS à Câmara Municipal de Peso da Régua diz que concelho está estagnado

Candidato do PS à Câmara de Peso da Régua diz que concelho está estagnado

O candidato socialista à Câmara do Peso da Régua, Manuel Monteiro, considera que o modelo de gestão do executivo PSD “está esgotado”, o concelho “estagnado” e propõe o lançamento de um programa municipal de atração de investimentos.

Manuel Monteiro é técnico de farmácia, presidente da União de Freguesias do Peso da Régua e Godim e, nas eleições autárquicas de 26 de setembro, encabeça pela primeira vez a candidatura à presidência da câmara.

“Considero que o modelo de gestão autárquico do atual executivo está esgotado. Os números e a realidade no terreno falam por si. Estou consciente dos tempos desafiantes que vivemos e da angústia partilhada por muitos dos nossos concidadãos. Acredito que o nosso concelho precisa urgentemente de um novo paradigma de desenvolvimento que só o PS pode liderar”, afirmou à agência Lusa.

Manuel Monteiro disse que “o concelho está estagnado e, sobretudo, mais desigual, as freguesias rurais estão totalmente esquecidas e a cidade não foi capaz de se transformar e de se adaptar aos desafios do século XXI”.

“A interioridade não pode continuar a ser desculpa para todas as falhas do atual executivo. Bem pelo contrário. Há que agarrar as oportunidades dadas pela descentralização de competências”, frisou.

Num concelho que perde população “a uma velocidade acelerada” e “sob o olhar desinteressado do atual executivo PSD”, o socialista disse que a Régua “necessita de uma vez por todas de se reafirmar como a capital do Douro” e de recuperar a “sua centralidade regional”.

“É urgente transformar Peso da Régua numa terra atrativa, inovadora e dinâmica, não desviando o foco do que é essencial. Como tal, será necessário apoiar as famílias e empresas, ainda num processo de recuperação, a vários níveis, provocado pelo impacto da pandemia”, salientou.

Se for eleito, Manuel Monteiro pretende desenvolver iniciativas que “possam ajudar a estimular a economia local”, como “a redução de impostos e a diminuição dos prazos de pagamento a fornecedores locais.”

“Pretendemos lançar um programa municipal de atração de investimentos, que será voltado para o mercado nacional e internacional, apoiando novos empresários e empreendedores. A criação de emprego é a melhor ferramenta para fixar população, atrair novos talentos e dar perspetivas para os jovens do concelho”, salientou.

Entre outras medidas, Manuel Monteiro propõe criar um laboratório colaborativo na área da vinha e do vinho, juntando empresas e instituições de ensino superior localizadas na região bem como outros parceiros públicos.

E pretende ainda lançar um “programa de valorização de todo o território, apostando em soluções de mobilidade e dando maior autonomia às freguesias, através do reforço das verbas transferidas”.

“Estas serão medidas essenciais para lutar contra as desigualdades existentes no nosso território, particularmente nos setores sociais e económicos”, sublinhou.

Menu