Celebração dos 200 anos do Santuário do Senhor do Monte

Celebrou-se, nos dias 24 e 25 de Julho, o bicentenário do Santuário do Senhor do Monte, situado na freguesia de Pinho, concelho de Boticas. São já 200 anos de história, de tradição e de festa de um povo que todos os anos acorre a este santuário, que também é conhecido dos fiéis como Bom Jesus do Monte.

Situa-se o Santuário nas vertentes da encosta, num lugar de passagem entre a Ribeira de Oura e Barroso, onde outrora houve um caminho percorrido pelos almocreves e comerciantes que, devido aos inúmero perigos, desde as feras aos ladrões, decidiram erguer um pequeno nicho ao Senhor dos Aflitos a quem pediram proteção e auxílio em tão remoto lugar. Mais tarde, em 1821, com os lucros das esmolas, começou a ser construída a imponente capela nova do Bom Jesus do Monte, sendo pároco da freguesia de Pinho o Rev. Gervázio Pires de Carvalho. A partir desse ano começou a realizar-se a festa ao Bom Jesus do Monte, no último Domingo de Julho, agregada à festa de S. Tiago, data que se mantém inalterada até aos dias de hoje.

Este ano, devido à pandemia, não houve a habitual procissão nem se realizou a feira e romaria do Senhor do Monte. Não obstante, durante o fim de semana, foram muitos os peregrinos que acorreram ao Santuário para celebrar a sua fé e cumprirem as suas promessas. No Sábado, dia 24 de julho, foi celebrada a missa dos peregrinos no recinto do Santuário, às 11 horas.

No Domingo, dia de S. Tiago, a Eucaristia foi presidida por sua Ex. Rv.ma, D. António Augusto de Oliveira Azevedo, bispo da Diocese de Vila Real. Tomaram também parte na celebração o pároco de Pinho, Pe. Adão Moura, e os Diáconos João Paulo e Paulo Santos, naturais e descendentes de Valdegas, da freguesia de Pinho. Marcou também presença o presidente da Câmara de Boticas, Fernando Queiroga, o Vice- Presidente, Guilherme Pires, e o presidente da Junta de freguesia de Pinho, José Lage.

Na homilia, o Senhor Bispo referiu que “um santuário belo como este, é sempre um lugar de encontro das pessoas, das famílias e das comunidades, é um lugar de fé e também um lugar de cultura e de encontro com Cristo ressuscitado”.

No final da Missa teve lugar a cerimónia de bênção do marco comemorativo dos 200 anos do Santuário, cujo logotipo foi realizado pelo professor de EMRC João Manuel Rua Alves. “Um Cristo sereno, com capa de peregrino, atravessando as montanhas ásperas e íngremes e inspirando confiança e tranquilidade aos viandantes que se recolhem à sua proteção na travessia dos montes carregados de perigos”.

Tomou ainda a palavra o presidente da Câmara de Boticas que referiu que este Santuário continua a ser uma referência na região, um local de cultura, de convívio e de fé. A celebração dos 200 anos do Santuário é, pois, um marco histórico que é preciso celebrar e festejar.

Este ano a festa foi mais contida e simbólica, mas ainda assim, muito participada pelas centenas de pessoas e peregrinos que acorreram ao Santuário neste dia.

P. Adão Moura

Menu