Celebrações religiosas suspensas a poucos dias da Páscoa

Na sequência da pandemia COVID-19, a Diocese de Vila Real, após a reflexão feita no Conselho Presbiteral, decidiu tomar algumas medidas peventivas, mas sem definir orientações acerca das celebrações de Páscoa, que se celebra entre os dias 5 a 12 de abril. A Conferência Episcopal Portuguesa (CEP), em consonância com as indicações do Governo e das autoridades de saúde, decidiu, por sua vez, suspender todas as missas ou eucaristias, até que a situação de emergência seja ultrapassada. Entretanto, aconselha-se aos fiéis que acompanhem as Celebrações pela televisão e rádio.

Além das missas, as catequeses ficam também suspensas em todas as paróquias, pelo mesmo período de tempo, e a semana das pregações e confissões fica adiada. Em relação à Unção dos Doentes, só se fará a visita e confissão dos doentes em suas casas em caso de urgência.

Em funerais, não se usará a Água Benta, e, em acordo com a família, tentar-se-á reduzir o tempo de velório e evitar as saudações entre as pessoas. Pede-se, ainda, que as pessoas não se desloquem de terra em terra para os velórios e funerais e que se realizem apenas com os familiares.

A Diocese adiantou que, em breve, serão dadas orientações acerca das celebrações da Páscoa, que terão em conta o evoluir da situação. “Apesar da sua gravidade, este período deve suscitar uma vivência quaresmal mais forte, com uma oração mais intensa e um jejum mais consciente”, referiu a Diocese em comunicado.

Em Lamego, já foram suspensas, até ao dia 31 de março, todas as realizações previstas no âmbito das celebrações da Semana Santa.

Bispo de Vila Real apela à prudência e responsabilidade social

O Bispo da Diocese de Vila Real apelou à responsabilidade e prudência de cada pessoa para que evite comportamentos que possam pôr em risco a sua saúde ou a dos outros e ao respeito por todas as indicações das autoridades competentes.

D. António Augusto Azevedo lembrou a necessidade de cumprir as orientações da CEP, nomeadamente a comunhão na mão, a omissão do gesto da paz e o não uso da Água Benta em celebrações que não forem canceladas.

Ficaram adiadas as celebrações do Sacramento da Penitência e Reconciliação com confissão individual para o período imediatamente posterior a esta crise, esperando que tal aconteça ainda no tempo pascal. As visitas pastorais ficam também adiadas para datas a anunciar.

Foi decidido suspender as celebrações em lares de idosos e outros lugares de especial vulnerabilidade, até que seja restabelecida a normalidade, e ainda a iniciativa diocesana da peregrinação da imagem da Sagrada Família e ainda restringir a atividade pastoral na diocese, paróquias e outras instituições, reduzindo-a ao estritamente indispensável, evitando aglomerações de pessoas.

O Bispo de Vila Real veio, ainda, manifestar reconhecimento e incentivo aos profissionais de saúde, aos cuidadores e a todos os que, fazendo parte dos vários serviços de saúde, apoio ou socorro, estão empenhados no difícil combate a esta doença e convidar todos os diocesanos à oração pelos doentes, pelos que estão infetados com este vírus ou padecem doutra doença, e ainda por todos os que já foram vitimados por esta pandemia.

Menu