Centro de Interpretação e Sensibilização Ambiental inaugurado no Boticas Parque

No seguimento da cerimónia de criação do ValorBarroso, que decorreu na passada sexta-feira, dia 25 de junho, o Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor, juntamente com o Presidente da Câmara de Boticas, Fernando Queiroga, o Presidente da CCDR-N, António Cunha, e a responsável ambiental da Iberdrola, Sara Hoya, inaugurou o Centro de Interpretação e Sensibilização Ambiental (C.I.S.A.), no Boticas Parque – Natureza e Biodiversidade (BNB).

O C.I.S.A. é um espaço lúdico e pedagógico direcionado, sobretudo, para o público mais jovem e que tem como objetivo principal a divulgação científica e ambiental do mexilhão-de-rio (Margaritífera margaritífera), uma espécie de bivalves protegida pela Convenção Sobre a Conservação da Vida Selvagem e dos Habitats Naturais.

Além da divulgação do mexilhão-de-rio, este espaço contempla também informações sobre mais duas espécies presentes neste território como é o caso da Toupeira-de-Água e da Borboleta Azul.

Um espaço distinto e inovador que dá a conhecer o vasto património natural existente no Concelho de Boticas e na região, contribuindo, simultaneamente, para a diversificação das atividades turísticas e ambientais disponibilizadas no BNB.

O Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor, referiu que “a criação de espaços como este são fundamentais para dinamizar e valorizar os territórios, através do estudo do património e dos seus recursos endógenos”.

Por sua vez, o Presidente da Câmara de Boticas, Fernando Queiroga, disse que “este equipamento vai permitir dinamizar ainda mais o Boticas Parque e atrair mais visitantes ao nosso Concelho”, acrescentando que “a vasta riqueza natural e paisagística desta região merece ser conhecida e valorizada”.

Após a inauguração teve lugar uma visita guiada ao BNB, nomeadamente ao Posto Aquícola e ao Centro de Reprodução de mexilhão-de-rio, e ainda ao Centro de Artes Nadir Afonso.

De referir que a criação do C.I.S.A. decorreu no âmbito do “Plano de Compensação de Flora e Fauna”, atribuídas ao Município de Boticas pela Iberdrola, empresa responsável pela construção do Sistema Eletroprodutor do Tâmega, e surge como complemento ao Centro de Reprodução de mexilhão-de-rio instalado também no Boticas Parque.

Menu