Centurium: escolas de Vila Real aplicam programa educativo inovador

Centurium- programa educativo está a ser implementado em cinco escolas do concelho de Vila Real. Professores, alunos e famílias estão envolvidos de forma “muito inovadora” neste programa, tendo já presença marcada para a final do Torneio de Jogos Romanos de Tabuleiro, disputado por escolas de  vários concelhos do Norte do país.

A Escola Secundária São Pedro e o Agrupamento de Escolas Morgado de Mateus, no concelho de Vila Real, estão a aplicar, “de forma muito inovadora” o programa educativo Centurium. Professores, alunos e famílias estão motivados e vão participar na final do Centurium – XII Torneio de Jogos Romanos de Tabuleiro com escolas de outros concelhos do Norte do país.

“Dado o sucesso que o programa educativo está a ter temos interesse em criar evidências”, assume o mentor do programa educativo, Paulo Morais, esperando mobilizar cada mais instituições e parceiros locais.
“O Centurium é programa educativo, que promove a flexibilidade curricular e a inclusão educativa do pré-escolar ao ensino secundário, envolvendo também os alunos com necessidades especiais e tendo a capacidade de sair dos muros da escola, mobilizando as famílias”, explica o também professor de Matemática, adiantando que o Centurium tem ainda um “denominador comum” que permite trabalhar de forma transversal e articulada entre várias disciplinas.

Em Vila Real, tudo começou com os professores da Escola Secundária de São Pedro, em Fevereiro passado, quando ficaram atraídos pela parte da ludicidade e implementação dos quatro jogos ancestrais de tabuleiros (sega, moinho, fábula e soldado), que foram popularizados pelos romanos”, lembra o mentor do programa educativo, referindo que outro dos “atractivos e pontos fortes” foi o facto de Vila Real também ter muitas referências à época romana. “Ao explorar estes denominadores comuns e a forma como o programa educativo está a ser trabalhado, o Centurium já ganhou uma identidade própria em Vila Real”, assegura.

Com o “entusiasmo” do director do Centro de Formação da Associação de Escolas Associadas de Vila Real, Carlos Santos Silva, de imediato foi disponibilizada a formação acreditada para 16 professores da Escola Secundária de São Pedro. Nessa oficina de capacitação de 50 horas participaram professores de várias áreas, desde o Inglês, Português e Alemão, passando ainda pelo Apoio às Necessidades Especiais, à Geografia, à Matemática e até à Fisico-Química. “Foi um grupo muito transversal com professores de alunos com necessidades especiais, do 3.º ciclo e do secundário. São sem dúvida, os grandes impulsionadores, porque 15 dias depois demos início a uma nova formação a partir do testemunho destes professores”, conta Paulo Morais.

Ao programa educativo juntaram-se mais 11 professores do Agrupamento de Escolas Morgado de Mateus, estando envolvidas neste momento a Escola Básica de Vila Real n.º 7 (Araucária), a EB1 Abade de Mouçós, a Escola Secundária Morgado de Mateus, que é a sede de agrupamento, e a EB2,3 Monsenhor Jerónimo do Amaral. “O agrupamento veio inovar no território de Vila Real, porque está a trabalhar de forma articulada e interdisciplinar o 1º ciclo, o 2.º ciclo, o 3.º ciclo e o secundário, onde engloba ainda os cursos profissionais e os alunos com necessidades especiais”, aplaude o mentor do programa educativo.

Os 27 professores, que fizeram a formação, para além de motivarem os alunos já envolveram muitas famílias, que já jogam em casa. “As escolas vêem a motivação dos alunos e investem para terem os recursos a título individual e fazem esse esforço dada essa motivação manifestada por alunos e professores”, refere Paulo Morais, destacando aqui o apoio da directora da Escola Secundária São Pedro, Rita Mendes, e da directora do Agrupamento de Escolas Morgado de Mateus, Marina Teixeira.

“Tem havido muita inovação e surpresa. Por exemplo, na Escola Secundária São Pedro, houve o ‘transporte’ do Centurium para uma plataforma europeia de intercâmbio entre escolas, onde estão a promover os jogos com escolas da Turquia, da Alemanha e da Itália”, revela. Também por iniciativa dos professores da Escola Secundária Morgado de Mateus está a ser feito um trabalho com o Museu de Arqueologia e Numismática de Vila Real. “Os professores, querendo trazer mais-valias para os alunos e uma identidade própria para o programa, estão a fazer à adaptação às referências locais dos elementos romanos através do Santuário de Panóias e ainda através do espólio muito interessante da época romana que existe no museu e tudo isso está a ser integrado pelos professores e pelos alunos de forma natural”, constata.

Menu