Chega entregou lista que dará “voz às pessoas”

Esta segunda-feira, o Chega entregou a lista candidata às eleições legislativas, no tribunal de Vila Real.
Sobre esta lista, Manuela Tender, cabeça de lista, sublinhou que é composta por “uma equipa com capacidade de trabalho, muito séria e empenhada em fazer um trabalho bom e notável pela região. “Estamos convictos de que vai ser uma candidatura com bons resultados, que vai conquistar a simpatia e o voto dos nossos concidadãos, porque é uma candidatura de pessoas que estão disponíveis para servir”, destacou.
Segundo a cabeça de lista, os dois partidos que têm elegido deputados em Vila Real, PS e PSD, “são os dois responsáveis peço abismo a que têm conduzido regiões do interior”. “Se foram eles que nos conduziram ao abismo, não vão ser certamente eles que nos vão tirar [de lá]”, reforçou.
Quando questionada sobre a sua inclusão, enquanto independente na lista do Chega, Manuela Tender explica que “esta troca” não foi feita agora: “eu desiludi-me muito com alguns comportamentos no PSD, que critiquei e que tive oportunidade de o fazer publicamente, de nomear aquilo em que não me revia. O PSD é, neste momento, a nível distrital, um partido no qual prevalecem os interesses pessoais, e não o serviço à região.
Os partidos têm de estar ao serviço das populações. Nesse sentido, não conformada com a forma de ser e de estar dos agentes políticos do PSD na região, desfiliei-me, vai fazer dois anos, não foi agora”, esclareceu.
Por fim, a cabeça de lista realçou que o objetivo desta candidatura é “dar voz às pessoas”, através do combate ao despovoamento a falta de perspetivas de emprego, a pobreza, etc.
A lista é composta por Manuela Tender, Sérgio Ramos, Carlos Fecha, Helena Fraga e Eduardo Miranda.

Menu