Clubes eliminados do Campeonato de Portugal estão contra a permanência dos desistentes

25 clubes que se classificaram em zona de despromoção do Campeonato de Portugal, na presente temporada, entre eles quatro emblemas transmontanos (Bragança, Vimioso, Vidago e Mondinense), uniram-se para combater aquela que consideram ser “uma injustiça sem precedentes” na competição. 

Em causa está um regulamento da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) que não penaliza os clubes que desistiram da prova, nesta temporada, por questões relacionadas com a Covid-19, permitindo a manutenção no Campeonato de Portugal.

“Estas equipas permanecem, portanto, no Campeonato de Portugal, numa temporada muito difícil financeiramente para todas as que a enfrentaram por inteiro. As primeiras não tiveram os encargos, nomeadamente relacionados com a organização dos jogos, sem adeptos, mas principalmente os salários, e são recompensadas com uma permanência no Campeonato de Portugal”, referiu o presidente do Vidago, em comunicado.

Paulo Lopes acrescentou que os 25 clubes que cumpriram o calendário integralmente, mas que desceram, pelos resultados desportivos, “tudo fizeram para cumprir todos os compromissos a que o campeonato obrigou”, apesar da pandemia.

Entendem, portanto, os clubes participantes neste movimento, “tratar-se de um artigo e de um comportamento discriminatório, que penaliza quem lutou por sobreviver numa temporada repleta de dificuldades, e entendem que esta decisão deve ser revista”. 

Menu