Comunidade de Vila Marim vive tarde de convívio intergeracional

Integrada na semana de articulação, promovida pelo Agrupamento de Escolas Diogo Cão, as professoras do Jardim de Infância e Escola Básica de Vila Marim, em estreita parceria com a Junta de Freguesia, levaram a cabo uma tarde bem animada, de partilha e de convívio intergeracional.

Todos sabem, e a Freguesia de Vila Marim sente-o bem, que o contacto entre gerações é fundamental e imperioso numa sociedade que se quer cada vez mais solidária. Para tal, é preciso, antes de mais, conhecer a população, a realidade de cada um, na certeza de que cada encontro é, acima de tudo, uma esperança renascida num amanhã menos doloroso. A Junta de Freguesia sabe muito bem quão importantes são as atividades intergeracionais. Desempenha um papel de proximidade incontornável. Tem, por isso, obrigação de promover e reorientar as iniciativas no sentido de proporcionar, cada vez mais, momentos que ficam na memória de miúdos e graúdos. Na senda deste pressuposto, foi pedida a colaboração da Profª Diana Pereira, coordenadora do projeto Bila Sénior, promovido pela Câmara Municipal de Vila Real. Os nossos seniores reúnem-se duas vezes por semana sob o lema “dar vida aos anos”. Nas aulas de ginástica semanal, os nossos idosos encontram a melhor forma de ultrapassar o que Virgina Woolf afirmou “Há uma idade na vida em que os anos passam demasiado depressa e os dias são uma eternidade”.

Partilharam, nessa tarde, com os mais novos, as coreografias, a alegria, a cumplicidade, a energia. Contagiaram os mais novos e ensinaram-lhes também alguns gestos, “lá em cima está o tiro liro liro”. Olhares atentos a cada gesto, a cada rosto, a cada coreografia. As crianças também partilharam canções e coreografias. Os alunos do primeiro ciclo brindaram os presentes com a representação da história “O Sapinho Apaixonado” para deleite dos mais velhos. A tarde culminou num lanche partilhado. Todos, sem exceção, estabeleceram um compromisso. A partir deste dia, escola e comunidade estarão ainda mais próximas e mais envolvidas. A escola é isto mesmo, aberta à comunidade, abre portas aos mais velhos, cativa, fortalece laços, cria sonhos. A Junta de Freguesia é, deste modo, instrumento na construção de pontes. Realidades, que às vezes parecem distintas, são, também elas, construtoras de um mundo mais uno, mais solidário e mais feliz. Temos obrigação de cultivar este modus vivendi. Há horas boas na nossa vida! Aproveitemo-las ao minuto. Gratos pela iniciativa queridas professoras e assistentes! Também nós damos vida aos anos!

Sandra Marcelino, Presidente da Freguesia de Vila Marim

Menu