Conselho de reitores defende que ainda não há razões para fechar universidades

O Conselho de Reitores das Universidades Portuguesas (CRUP), apesar do aumento de casos de coronavírus, defendeu, através de um comunicado divulgado hoje, que, “até ao momento, não há razões de saúde pública que justifiquem o encerramento de instalações das instituições universitárias, à semelhança do que acontece com a generalidade dos setores de atividade em Portugal”. 

No mesmo documento, o CRUP afirma que as pessoas identificadas como contactos com casos suspeitos ou confirmados de COVID-19 têm vindo a ser contactadas e acompanhadas pela autoridade de saúde e submetidas a isolamento profilático, uma das razões que justifica a sua posição. “Atendendo a que até agora somente foram encerradas, por indicação das autoridades competentes, Escolas/edifícios onde foram identificados casos positivos de coronavírus, o CRUP irá aguardar a decisão que decorra da reunião entre o Governo e o Conselho Nacional de Saúde Pública, agendada para amanhã”, pode ler-se no comunicado. 

O Conselho declarou, ainda, que permanece atento ao desenrolar da situação e “tomará todas as medidas que as autoridades de saúde considerem necessárias para a proteção da comunidade”.

Em conclusão, o CRUP pediu à comunidade académica para continuar a observar as medidas de higiene e distanciamento social recomendadas pelas autoridades de saúde para a contenção do vírus.  

Menu