Costumes & Tradições – 4ª Semana da Articulação na Diogo Cão

O Agrupamento de Escolas de Diogo Cão organizou a sua 4ª semana de articulação deste ano letivo, prestando homenagem aos costumes e tradições locais. Este evento decorreu entre os dias 10 e 14 de fevereiro e envolveu de forma entusiástica a comunidade educativa.

O vasto programa permitiu entender as raízes culturais que sustentam o contexto histórico de discentes e demais comunidade, dando significado às aprendizagens essenciais do currículo. Pretendeu-se também formar cidadãos mais conscientes da importância do conhecimento e do respeito dos valores e da sua identidade local. Neste sentido, os historiadores Hilário Néri, na EB2,3 Diogo Cão, e Elísio Neves, na JI/EB1 do Corgo, partilharam os seus conhecimentos com plateias atentas e interessadas.

Durante esta semana, em vários espaços do Agrupamento, estiveram patentes exposições que incluíam trabalhos realizados pelos alunos, mostras de artefactos usados no quotidiano doméstico tradicional, brinquedos de outros tempos e máscaras de carnaval. Paralelamente, no refeitório da Escola Sede decorreu uma semana gastronómica regional, que terminou com a típica feijoada à transmontana.

Para abrir o programa a aposta foi uma animada arruada de concertinas e cabeçudos que abrilhantaram a manhã de segunda-feira.

Um dos pontos altos desta semana foi a leitura de contos tradicionais na biblioteca, selecionados e interpretados por diversos elementos da comunidade educativa – professores, pais e encarregados de educação, pessoal não docente, alunos – para as 28 turmas de 2º CEB, alguns dos quais lidos em língua mirandesa. Esta atividade decorreu também para alunos da educação pré-escolar e 1º ciclo do ensino básico, em estabelecimentos destes níveis de educação e ensino.

Ao longo da semana aconteceram vários workshops que cativaram o público alvo: as bolas trapeiras e as ganchas – na EB1 n.º 6 – as bonecas de tecido e brinquedos em madeira e outros elementos da natureza (bugalhos, canas, nozes, cabaças…) que o sr. professor João Pinto tão habilmente constrói – na EB2,3. A complementar esta vertente realizou-se o contacto com artesãos de duas das mais emblemáticas artes associadas a Vila Real – o linho de Agarez e a olaria negra de Bisalhães. A forma encontrada para as dar a conhecer foi diversa: O JI e a EB1 de Vila Marim fizeram uma visita de estudo a Agarez para conhecer in loco o “Ciclo do Linho”, as escolas EB2,3, JI da Timpeira e EB1 n.º 6 convidaram o “Ciclo do Linho” a vir à escola. Os alunos puderam observar todo o processo, descrito e demonstrado com rigor pela sra. dona Celeste, desde a semente (linhaça – que alguns quiseram provar!) até à peça final (panos de tabuleiro, “individuais”, sacos de pão, entre outros). Da mesma forma puderam contactar com a arte da Olaria, metendo as mãos no barro e fazendo rodar a roda de oleiro, sob o olhar atento e cuidadoso do Sr. Miguel.

Uma semana dedicada às tradições não poderia ignorar os jogos tradicionais! A terça e a quinta-feira foram-lhes dedicadas na EB2,3 Diogo Cão e no JI do Prado. Os alunos participaram entusiasticamente nas corridas de sacos, nos diversos jogos com cordas, no lançamento do pião, no jogo da macaca … e até em jogos tradicionais de outras culturas, nomeadamente “a piñata”.

A semana foi ainda marcada pela devida recordação de alguns costumes cuja memória se perde no tempo, como: a “Repartição do Burro”, a recriação do ambiente vivido nas desfolhadas e desgarradas, a degustação do caldo verde em pote de ferro, a apresentação de provérbios populares. Houve ainda espaço para dramatizações, representação de peças de teatro, apresentação de músicas tradicionais, degustação de elementos da gastronomia regional (covilhete, bola de carne, bola de bacalhau, pito, cavacório, gancha, broa de milho).

As tradições de outros países também marcaram presença com a comemoração de “La Chandeleur” (a festa dos crepes) e do “Saint Valentine´s Day”.

Para o sucesso desta semana foi determinante o envolvimento ativo dos diferentes departamentos, dos projetos e clubes e diferentes estruturas e parceiros da comunidade.

Menu