Covid-19: ARS Norte preocupada com o cumprimento das normas no Natal

O Presidente da Câmara de Boticas, Fernando Queiroga, participou hoje na habitual reunião semanal por videoconferência com a ARS Norte, em representação da CIM Alto Tâmega, para analisar a evolução da pandemia de Covid-19.

Apesar da ligeira estagnação no número de casos confirmados na última semana, a ARS Norte entende que tal não se deve a uma diminuição efectiva do risco de contágio, sendo resultado da menor mobilidade registada nos últimos dois fins-de semana prolongados, sendo previsível que os números aumentem nos próximos dias, até porque a situação está ainda longe de estar controlada. A grande preocupação continua a ser a incidência de casos nos Lares, havendo registo de vários surtos em estruturas residenciais para idosos de toda a zona norte do país. Tal situação poderá estar relacionada com o não cumprimento na íntegra dos planos de contingência e das regras essenciais, sendo fundamental, na ótica do Presidente da Câmara de Boticas, “evitar ao máximo os aglomerados de pessoas e controlar ainda mais as visitas às estruturas residenciais, como forma de travar estes surtos”.

O Natal, altura em que existirá um maior relaxamento face às medidas de segurança, é neste momento a grande preocupação da ARS Norte, que sublinha a importância dos comportamentos “responsáveis” nesta quadra natalícia para evitar os efeitos nefastos de uma possível terceira vaga da doença no início do próximo ano. “É fundamental que não baixemos a guarda e que zelemos ao máximo pela saúde uns dos outros. Mais do que as medidas que possam ser implementadas, a responsabilidade de cada um será determinante. Não há propriamente um número máximo de pessoas que poderão estar sentadas à mesma mesa, mas dever-se-ão ter em conta as regras básicas como uso de máscara e o cumprimento do distanciamento entre as pessoas para evitar a propagação do vírus”, refere Fernando Queiroga, complementando que “a economia débil das pequenas empresas, comércio e restauração não irá aguentar uma terceira vaga que se traduza num aumento significativo do número de infetados, nem muito menos medidas adicionais mais restritivas. Por isso, é responsabilidade de todos nós adotarmos comportamentos adequados e seguros”.

O Presidente da Câmara de Boticas manifestou ainda a disponibilidade dos Municípios da CIM Alto Tâmega para, à semelhança do que aconteceu com a campanha de vacinação contra a gripe sazonal, colaborarem no Plano de Vacinação contra a Covid-19 quando este arrancar.

Fernando Queiroga deu ainda conta do seu descontentamento face à posição assumida por profissionais da Unidade de Saúde Pública do Alto Tâmega e Barroso na gestão do Boletim Epidemiológico e como resposta à constatação, por parte dos autarcas, de alguma inoperabilidade na gestão dos casos confirmados e respectivos contactos.

Menu