COVID-19: Emigrantes detidos em Chaves pagam multas até 6 mil euros por desrespeitar quarentena


Os quatro emigrantes de Ribeira de Pena, detidos ontem em Chaves por desobediência à quarentena obrigatória (isolamento profilático) de 14 dias, foram hoje condenados a multas entre os 1.800 e os 6.000 euros, disse à Lusa fonte judicial.

Segundo a mesma fonte do Tribunal Judicial de Chaves, no distrito de Vila Real, dois dos detidos, empresários da área da construção civil, com empresas a laborar em Portugal, França e na Bélgica com mais de 100 trabalhadores, foram condenados a uma multa de 6.000 euros cada.

Quanto aos outros dois detidos, funcionários daqueles empresários, receberam uma pena de multa de 1.800 euros cada.

Após a sentença, um dos condenados explicou à Lusa que, quando regressaram a Portugal, alugaram uma casa na região de Ribeira de Pena para “cumprir a quarentena” e “proteger os familiares”, saindo “apenas para fazer compras”. “No primeiro dia que chegámos tivemos a visita da GNR para nos notificar da quarentena. Perguntámos se havia alguma forma de receber comida, alguma empresa de entregas, como UberEats e Glovo, e disseram-nos que não havia nada”, contou.

Situação que, segundo o empresário, os levou a sair de casa para ir às compras. Nesse dia, foram os quatro de carro a Chaves, mas apenas um saiu da viatura “devidamente protegido com máscara, luvas e gel desinfetante”.

Segundo a Agência Lusa, o arguido pediu ainda que haja um melhor esclarecimento por parte das autoridades e que este caso deve ser visto “pelo lado positivo”, pelo facto de terem “alugado casa para fazer quarentena e não contaminar ninguém”.

“Perante esta situação era urgente esclarecerem as pessoas que estão a regressar a Portugal em relação à compra de alimentos e informar se podem ou não sair de casa para comprar comida”, vincou.

Fonte: Lusa

Menu