Cruz Branca de Vila Real ativa Plano de Contingência e diminui serviços

No passado dia 10 de março, a Corporação dos Bombeiros Voluntários da Cruz Branca de Vila Real ativou um Plano de Contingência do Coronavírus, de acordo com as indicações decorrentes da Direção Geral de Saúde. No entanto, devido à evolução do vírus no território nacional, a Corporação da Cruz Branca de Vila Real adotou novas medidas, restringindo determinados serviços para promover a segurança de todos. Algumas dessas medidas serão aprovadas hoje em reunião.

“Inicialmente, as medidas passaram por restringir o acesso de público ao quartel, pela implementação de medidas de melhor higienização, por alguns controles, sobre tudo no transporte de doentes. Depois, a situação evoluiu e passamos a fazer limpeza nalguns locais de hora a hora, informamos o pessoal de não pode estar junto nos locais de trabalho, alteramos alguns horários de trabalho de maneira a que as pessoas pudessem ficar mais tempo em casa e alternamos os turnos de trabalho”, informou o Comandante da Corporação, Orlando Matos. 

Para além destas medidas, a Corporação tentará minimizar as equipas “sem perda de resposta na prontidão”, reduzindo ao indispensável o pessoal, evitando, assim, o risco de contágio. A velocidade de resposta continuará igual, uma vez que, segundo Orlando Matos, foi criada “uma bolsa de pessoal que está disponível ao minuto para se dirigirem rapidamente ao quartel para prestarem o serviço necessário”.

Quanto ao transporte de doentes não urgentes, foi cancelado e a corporação pretende reajustar “os horários dos bombeiros que prestavam esse serviço, de maneira a que fiquem disponíveis para fazer outros serviços que surgem”. 

Por enquanto, na sede da Corporação, o acesso ao público ainda está aberto na secretaria, contudo, segundo o comandante, está a ser equacionado o seu encerramento, uma decisão que será decidida, tal como as demais, numa reunião que se realizará hoje. 

Menu