Deputados do PSD por Vila Real questionam Governo sobre apoios aos agricultores do Douro afetados pelo mau tempo


O PSD questionou, esta terça-feira, o Ministério da Agricultura sobre as medidas que estão a ser equacionadas para ajudar os produtores afetados pela intensa queda de granizo no distrito de Vila Real.

Numa pergunta dirigida à ministra da Agricultura, os deputados do PSD eleitos por Vila Real, Luís Leite Ramos, Cláudia Bento e Artur Andrade, salientam que o “fenómeno climático extremo, de chuva forte acompanhada de granizo” que, na segunda-feira, “provocou uma devastação profunda em algumas culturas agrícolas localizadas nos vários concelhos de Vila Real, inseridas na região do Douro”.

“A intensidade do episódio foi de tal forma severa que se estimam elevados prejuízos em vinhas, inclusive nas localizadas na Região Demarcada do Douro, em culturas perenes de fruticultura e em culturas temporárias”, referem.

O PSD cita agentes locais que se queixam de que “as produções agrícolas na vinha e em outras culturas estão comprometidas na sua quase totalidade para o presente ano” e referiu que “será necessário o restabelecimento de diversas infraestruturas agrícolas, bem como em estradas, muros e caminhos”.

O PSD quer saber qual o valor da avaliação dos prejuízos efetuada, qual o prejuízo na área da vinha e qual a área afetada localizada na Região Demarcada do Douro. Os deputados pretendem apurar as freguesias e concelhos abrangidos no levantamento dos prejuízos, qual o prazo previsto para definir as medidas adotar, que tipo de medidas estão a ser equacionadas e se estão ou não a ser ponderadas ajudas específicas por tipo de cultura.

Ao final da tarde de segunda-feira, e durante vários minutos, caiu granizo com muita intensidade, descrito como sendo do tamanho de nozes ou de bolas de pingue-pongue no território de Vila Real, acompanhado de chuva intensa. O mau tempo provocou estragos em vários setores da economia, como a agricultura, atingindo vinhas inseridas na Região Demarcada do Douro, em árvores de fruto, como maçãs e cerejas, e ainda produtos hortícolas. A Direção Regional de Agricultura e Pescas do Norte (DRAPN) informou que foram avaliados cerca de 400 hectares de vinha nas freguesias de Guiães e Abaças, em Vila Real, com cerca de 60% de prejuízos estimados.

Menu