Dia da Guarda Florestal em Vila Real

Na passada quarta-feira, dia 29 de maio, a Guarda Nacional Republicana realizou uma cerimónia que assinalou o reconhecimento pela carreira de Guarda Florestal. Neste evento, esteve presente o Ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, que presidiu a cerimónia.

“A decisão tomada pela Guarda Nacional Republicana, de assinalar a partir deste ano e fazê-lo em Vila Real, nesta primeira iniciativa, o dia da Guarda Florestal tem uma dimensão simbólica, mas, sobretudo, representa o firme compromisso de, honrando a tradição da Guarda Florestal, afirmar, aqui, o nosso compromisso de olhar para o futuro, para o papel daquilo que é, verdadeiramente, o renascimento da Guarda Florestal que hoje aqui assinalamos”, discursou o ministro da administração interna.

Para além deste significado simbólico, a cerimónia foi aproveitada para falar no futuro que estes agentes da segurança terão em Portugal.

Recorde-se que, desde de 2006, a Guarda Nacional não contava com a admissão de novos elementos. Facto que se verifica no número de efetivos que, em 2011, era de cerca de 400, sendo, atualmente de cerca de 284 agentes. Uma situação que os incêndios de 2017 vieram alterar. Com efeito, Eduardo Cabrita, anunciou que, graças ao recente concurso da Guarda Florestal que teve cerca de dois mil candidatos, a Guarda Florestal, em 2020, contará com mais 200 agentes, alcançando os cerca de 500 efetivos. Um número que irá reforçar, na próxima primavera, os meios “fundamentalmente” em distritos do interior tais como: Bragança, Beja, Castelo Branco, Santarém e Porto Alegre.

Notícia completa na edição nº 669, já nas bancas.

Menu