Diocese de Vila Real vai assegurar transmissão da Missa Dominical


A Diocese de Vila Real tomou novas medidas que viam mitigar a propagação do vírus COVID-19, nomeadamente no que respeita à celebração de cerimónias fúnebres, a suspensão das missas de 7º e 30º dias, e a transmissão da Missa Dominical a partir da Sé.

Assim, conforme foi recomendado, a presença nos funerais deve restringir-se à família próxima, aconselhada a respeitar o distanciamento social. Os velórios devem ser evitados ou mais breves, com a urna fechada e salvaguardando as normas de segurança. A oração exequial, mais simplificada e curta (sem eucaristia, comunhão ou gesto da paz) fica reservada a um número muito restrito de pessoas da família. As habituais celebrações do 7º e 30º dias ficam suspensas, podendo o pároco na sua missa privada rezar por essa intenção. Antecipando que possa vir a realizar-se algum funeral de vítimas desta pandemia, determina-se que se respeitem todas as normas já emanadas das autoridades sanitárias.

Durante este período de exceção, a Cúria Diocesana funcionará apenas às segundas e quintas-feiras, das 10 às 12 horas.

A diocese vai assegurar a transmissão da Missa Dominical a partir da Sé de Vila Real, presidida pelo Bispo diocesano, aos domingos às 10 horas. Será uma celebração privada, isto é, com a porta fechada e só com as pessoas indispensáveis.

Serão ainda partilhados outros subsídios pastorais: meditação diária, um terço e uma via-sacra em cada semana e outras propostas apresentadas pelos secretariados diocesanos.

O Bispo da Diocese de Vila Real tomou novas medidas, “tendo em conta a evolução da crise pandémica que tem alterado de forma radical a vida das pessoas, das famílias e do mundo em geral”. Assim, “a Diocese e cada uma das suas comunidades é desafiada a adaptar a sua vida pastoral a estas circunstâncias nunca vividas”.

“Renovo o apelo para que sejam respeitadas as indicações das autoridades e peço a todos muita prudência, paciência e um grande espírito de união nas famílias e nas comunidades. Que esta quaresma tão excecional nos ajude a uma experiência espiritual de verdadeira conversão e propicie a redescoberta de algumas práticas e valores, como o da oração, pessoal e familiar”, declarou D. António Augusto Azevedo.

Menu