E beijos e abraços ao postigo?

O fim de semana não trouxe  um céu azul nem um sol continuado.  De  qualquer modo, abriu-se  metade da  janela da esperança,  no azul tímido de  segunda feira.  Impedidos de ir ao café, JP e PJ pões a conversa em dia via skype

– Olá! Vem aí o desconfinamento – atirou JP.

– Não há a palavra desconfiamento? –  perguntou,  imediatamente, PJ.

– Que horror!  Inventar palavras só o Mia Couto. Não abuses. Tem lá tino.Mas há desconfiar e desconfiança.

 – Desconfinas agora, confinas amanhã. É como o ió-ió, sobe e desce, desce e sobe, enquanto a baraça não fica enrolada, parando o movimento.

– Tanto cepticismo! Julgava-te mais otimista, PJ.

– Sabes como somos.  Está a chegar a Primavera.  A rua   chama por todos e todos querem  a rua.

 – Não tarda, começa a falar-se  na praia, nas viagens.  Fazem-se as malas para as grandes viagens. É o regresso à rotina.

 – Hum! Rotina agora ainda é ficar em casa, meu amigo. Do quarto para a cozinha, da cozinha para a sala,  ligar a televisão, ver um filme, uma série,  puxar atrás, puxar à frente, fazer pausa.

 – Aborrecermo-nos porque  as séries estão sempre a repetir-se,  PJ.

 – Ler um livro…

– Também pode cansar. Tanta letra! Tanta página!  Depois é o regresso à cozinha e ao quarto.

 -Achas que vai haver baby-boom?

– Sei lá. Não estou a fazer um mestrado na área – sentenciou PJ

 – Mas o que pensas? Sim ou não? Na tua ideia qual será a lógica?

 – A lógica é uma batata. Se a  comeres muitas vezes faz engordar.

–  Lá está.

 – O quê? – PJ não percebeu logo onde ele queria chegar.

– Que a batata faz engordar se se comer muitas vezes. E em confinamento  há quem tenha  tendência para engordar. Concordas? Descuidam-se, não pensam… há apetites, desejos que às vezes não se controlam. É como comer chocolates, bolachas, beber  umas cervejas… Tido isso faz engordar.

– O que acabastes de dizer  tem alguma coisa a ver com o baby-boom? Não percebo.

–  Eh, pá! Tu entendeste-me. Não te faças tonto.

 – Ora agora eu!… – Agora PJ intuiu. – Não me parece.  A crise… não irracionaliza as pessoas.

– Mas a ternura acontece.

– Repetida pode cansar. Até pode dar para o torto.

– Então o desconfinar  é  um pau de dois bicos. Mesmo assim

– Já vi que estás feliz.

–  começo a estar. A felicidade  vai estar  na liberdade que se aproxima.

–  Mas  continuaremos mascarados.

–  E bem. Que isto não é por brincadeiras.

–  É a vida a conta gotas. Meias e cuecas ao postigo. – PJ  riu-se   primeira vez.

–  Não te cheira a café?

–  Cheira? Onde? Não me digas…

–  Ao postigo.

–  E não há abraços  e beijos ao postigo?

Menu