EMAR lança novo serviço digital que traz poupança aos seus clientes

A EMAR, na passada sexta-feira, anunciou a disponibilização de uma nova aplicação móvel, no âmbito da campanha promocional EMAR 2.0, para a gestão de água: My Aqua EMAR. Uma aplicação que, segundo Carlos Silva, representante da EMAR, permitirá “desmaterializar a relação da empresa com os seus clientes”. “Isto é, os nossos clientes passarão relacionar-se com a empresa sem terem de estar presencialmente no balcão”, explicou.
Nesta aplicação, que pode ser descarregada no Google Play e na AppStore, os clientes poderão consultar os consumos, dar leituras e ter acesso a uma série de possibilidades que antes deviam fazer presencialmente no balcão.
Para além deste relacionamento intuitivo com a empresa, a todos aqueles que se fidelizarem com esta nova aplicação a EMAR vai “oferecer, no mês seguinte a tarifa de água que na fatura estiver associada ao consumo, ou seja, será admitido um crédito com esse valor”, explicou o vereador.

Processo da empresa Água Interior Norte está no Tribunal de Contas

Na apresentação desta nova aplicação, Carlos Silva mencionou nova empresa das Águas do Norte que reúne 8 municípios: Vila Real, Sabrosa, Santa Marta de Penaguião, Murça, Mesão Frio, Peso da Régua, Torre de Moncorvo e Freixo de Espada à Cinta, e que já estava sediada em Vila Real, mas cujo processo de constituição ainda não está concluído. Uma empresa que, segundo Carlos Silva, terá como missão “prestar a todo o território um serviço de qualidade semelhante ou igual (…) àquele que a EMAR tem vindo a prestar nos últimos anos”.
O processo foi iniciado pelo Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos (PO SEUR), que disponibilizou um conjunto de avisos para entidades se poderem candidatar a uma série de investimentos nas áreas de remodelação de redes de aumento de eficiência. No entanto, como explicou o responsável da EMAR, as mesmas eram inviáveis “para empresas que ainda não existissem”. A POSEUR entendeu a situação e permitiu aos municípios realizar a candidatura aos apoios, com a condição de um deles representar os restantes. “Nós fizemos essa prévia candidatura e a mesma concretizar-se-á quando tivermos uma empresa. E a partir daí termos os apoios que estão previstos”, adiantou Carlos Silva.
Um apoio de cerca de 30 milhões de euros, dos quais 9 estão delineados para o concelho de Vila Real. Um valor que será aplicado em ações de acréscimo de redes de saneamento, para aumentar a taxa de cobertura que ainda se encontra “abaixo da média nacional”; na remodelação de redes de água, devido à perda de água nas redes mais antigas, e em equipamentos de medição, tendo em vista a identificação rápida dos problemas de redes “de maneira a que a quantidade de água perdida seja o menor possível”, explicou o vereador do ambiente.
Apesar de estar em andamento, este processo, caracterizado como “complexo” por Carlos Silva, ainda está a aguardar o parecer final do Tribunal de Contas.

CR

Menu