“Esgana” leva à morte de animais no Canil Intermunicipal

A “Esgana” (também conhecida como vírus da cinomose canina)  está alegadamente a causar a morte de vários animais no Canil do Vale do Douro. Segundo o que o NVR conseguiu apurar, os animais sofrem de febres altas, diarreias com sangue, falta de apetite e vómitos.

Sandra Carvalho, fundadora da página voluntária Ajuda Animais Vila Real (AAVR), que está ativa desde 2017 com objetivo ajudar os animais a encontrarem “adotantes”, tem acolhido cães entre os dois e os seis meses que apresentam estes sintomas. Segundo a voluntária, “se os animais ficarem no canil dois dias, sobrevivem, mas caso permaneçam cerca de uma semana ou mais, muito dificilmente conseguimos salvá-los”.

A AAVR já lamentou oito mortes, em cerca de um mês, todas causadas pelos mesmos sintomas em animais com pouca idade.

Segundo a mesma fonte, “a maior parte dos animais que está dentro do canil está contaminada”, sendo necessária a criação de um espaço onde se possa colocar os animais recém-chegados, em quarentena, durante cerca de 15 a 30 dias, enquanto não são vacinados, para não serem infetados e para conseguir impedir que a “epidemia” se propague mais, fazendo mais vítimas.

Na segunda-feira, a AAVR tinha recebido os resultados do teste de “Esgana” feito numa das cadelinhas recuperadas do canil, a Cindy. O mesmo deu positivo e, para Sandra Carvalho, significa que “há provas concretas” relativamente às suas suspeitas.

O NVR tentou entrar em contacto com o Canil do Vale do Douro para obter informações relativamente a estes acontecimentos, contudo, até à hora do fecho desta edição, não obteve resposta.

Menu