Estudantes da UTAD estão a ajudar beneficiários da Refood a procurar emprego

Sete estudantes do Mestrado em Engenharia Mecânica da Universidade de Trás-os-Montes (UTAD) estão a desenvolver um projeto que tem como objetivo ajudar pessoas, atualmente beneficiárias da Refood, a encontrarem emprego.

Este grupo de trabalho está a desenvolver uma “Bolsa de Saberes” dos beneficiários que inclui a formação académica, a experiência profissional e os interesses pessoais, além do perfil. Tencionam também elaborar um currículo, em conjunto com os beneficiários participantes, de forma a que possíveis empregadores possam oferecer uma oportunidade de inserção laboral.

A ideia deste projeto surgiu pela necessidade de um tema para a Unidade Curricular de Gestão Industrial I, na qual os alunos “devem adquirir”, além das competências técnicas de gestão de projeto e otimização, competências sociais, tais como empatia, liderança, comunicação, trabalho em equipa, pensamento crítico e criativo, contribuindo para a solução de um problema real. 

“Juntámos o útil à oportunidade de ajudar pessoas que, neste momento, se encontram numa situação mais frágil em termos económicos e sociais” explicam os estudantes. Surge assim a ligação à Refood, organização independente, orientada por cidadãos voluntários, que trabalha para “eliminar o desperdício de alimentos e a fome em cada bairro”.

“Ao apresentar a proposta para a unidade curricular, os estudantes mostraram-se interessados em desenvolver este projeto na área social propondo-se a ajudar estas pessoas na procura ativa de emprego de modo que estes saiam da situação precária em que se encontram”, salienta Caroline Dominguez, docente da UTAD e responsável da Unidade Curricular.

O projeto incide em participantes residentes na cidade de Vila Real e, neste momento, estão a trabalhar com 10 beneficiários. Numa fase final do projeto pretendem estabelecer contacto com empresas ou instituições da cidade de Vila Real com potencial interesse em contratar estes beneficiários/participantes.

Os estudantes esperam, com este projeto, ajudar a “mitigar o preconceito que existe na oferta de oportunidades de trabalho a pessoas com menos competências profissionais, académicas e sociais”.

Menu