Ex-deputada Manuela Tender anunciou desfiliação do PSD

Manuela Tender, que foi deputada à Assembleia da República, pelo Círculo de Vila Real, entre 2011 e 2019, anunciou hoje a desfiliação do PSD, partido no qual foi militante durante 15 anos. A professora, de 49 anos, referiu ter perdido a “confiança” na liderança do PSD no concelho de Chaves e no distrito.

“Após cerca de quinze anos de militância entusiástica, ativa e convicta no PSD, e muitos mais de militância sem cartão de militante, desde a juventude, decidi cessar a minha filiação partidária”, anunciou a antiga deputada Manuela Tender, na sua página do Facebook.

“Sempre entendi a política como missão e trabalho em prol do bem comum, com dedicação incondicional, numa interação muito próxima com cidadãos e instituições e num constante exercício de prestação de contas. Não são, no entanto, esses os princípios que norteiam o funcionamento das estruturas concelhia de Chaves e distrital de Vila Real”, continuou.

Manuela Tender acrescentou que o PSD é, hoje, um partido “sem rumo nem estratégia, sem voz nem liderança, sem ambição nem projeto, sem combatividade nem um claro caderno reivindicativo para o concelho e a região, num divórcio crescente com os anseios e preocupações dos cidadãos”.

A antiga deputada concluiu o comunicado admitindo ter “perdido a confiança na liderança do PSD no concelho de Chaves e no distrito de Vila Real”. “Decidi exercer livremente os meus direitos e deveres de cidadania ativa, crítica e participativa, sem sujeição a códigos de conduta nos quais não me revejo e que condeno e condenarei sem complacência”, rematou.

De referir que a ex-deputada do PSD dirigiu duras críticas à estrutura distrital, liderada por Fernando Queiroga, na sequência da escolha dos nomes que compuseram a lista do partido, pelo Círculo Eleitoral de Vila Real, que se apresentou a sufrágio nas legislativas do passado mês de outubro.

Menu