Exposição “Acasos Objetivos” de Carlos Magno dá voz às paredes das cidades

Já em exibição, na Sala Multiusos do Centro Cultural de Chaves, a exposição “Acasos Objetivos” contou no passado sábado, dia 15 de maio, com a presença do autor, Carlos Magno, numa visita-guiada que assinalou a sessão formal da abertura da mesma.

Esta mostra, patente ao público até dia 27 de junho, foca-se na captação de imagens que documentam a efémera voz dos cidadãos, escrita e desenhada nas paredes, nas estradas ou nos cartazes que resultam muitas vezes do acaso de acontecimentos, que são registados oportunamente pelo o fotógrafo. As suas fotografias são testemunhos de uma realidade que se encontra apenas visível para aqueles que olham e veem significado.

Para o autarca flaviense, Nuno Vaz, “é com enorme apreço que Chaves recebe esta exposição constituída por fotografias que pretendem traduzir movimentos, tendências e culturas, numa reflexão desencadeada pela capacidade de interpretação individual da dimensão e mensagem, que se encontra subjacente a cada mosaico apresentado nas vivências multifacetadas das nossas cidades”.

Carlos Magno, define esta exposição de fotografia de semiótica urbana como uma manifestação de “street art” “em que o mais anónimo também pode ter o seu momento de glória”. Refere ainda que “não podemos perceber o que está a ser dito nas cidades se não conseguirmos ler as paredes”, apresentando nesta mostra algumas imagens de Chaves, cidade com semiótica própria.

A exposição com a curadoria, conceção e produção pelo Bairro dos Livros já esteve patente na Reitoria da Universidade do Porto, que deu o apoio à iniciativa, e nas cidades de Aveiro e Viseu.

No próximo dia 22 de maio será lançado o catálogo desta exposição, que pode ser visitada de terça-feira a sexta-feira, entre as 14h00 e as 18h00 e sábado das 09h00 às 13h00 e das 14h00 às 18h00.

Menu