Festival de Teatro “Vinte e Sete” em Vila Real e Bragança

Geral

Os Teatros Municipais de Vila Real e Bragança organizam pelo 14.ª ano consecutivo o Vinte e Sete – Festival de Teatro, que inicia a 27 de Março, Dia Mundial do Teatro, e encerra a 27 de Abril. Neste ciclo de um mês dedicado à produção teatral portuguesa são apresentadas 14 peças de outras tantas companhias. Um total de 19 apresentações, de vários géneros e abordagens estéticas, são distribuídas pelos palcos das duas cidades assegurando à população residente um quotidiano artisticamente rico e convidando os visitantes a descobrir a região a partir da sua oferta cultural.

Vinte e Sete 2018 inclui workshops, conversas com o público, uma exposição de máscaras e acolhe a estreia da criação original ‘TORGA – L.I.B.E.R.D.A.D.E., um cine-teatro em nove letras’, uma encomenda dos dois teatros transmontanos no âmbito do projecto Algures a Nordeste, apoiado pelo programa Norte 2020.

Em Vila Real, o espectáculo de abertura é ‘A Grande Vaga de Frio‘, uma produção do Ensemble – Sociedade de Actores, protagonizada pela actriz Emília Silvestre, numa nova prova do seu «raro sentido de composição e desenvolta plasticidade». A peça parte de ‘Orlando’, de Virginia Woolf.

Na mesma semana, o teatro vila-realense apresenta ‘Arabesco‘, uma abordagem ao universo de Edgar Allan Poe pela companhia Red Cloud Teatro de Marionetas (espectáculo para maiores de 12 anos), e, pela mesma companhia, ‘Lobo Mau‘, um espectáculo para crianças e famílias que cruza teatro, teatro de marionetas, desenho animado e música. Será realizado na manhã do mesmo dia (31 de Março) umworkshop de cinema de animação.

A programação prossegue em Abril com uma outra actividade do Serviço Educativo: o Laboratório de Criação ‘Miniperformance’, para crianças dos 8 aos 12 anos, que decorre durante a segunda semana de férias da Páscoa e termina com uma apresentação pública.

No dia 6, tem lugar uma produção do Teatro Nacional D. Maria II, no âmbito da Rede Eunice. Trata-se da peça ‘Sweet home Europa’, encenada por João Pedro Mamede.

A 11 de Abril é a vez de ‘Em Memória’, um monólogo de Pompeu José, a partir do romance ‘Até ao Fim’, de Vergílio ferreira, uma produçãoGambozinos e Peobardos e Trigo Limpo Teatro ACERT, com encenação de António Rebelo e Pedro Sousa.

O público infantil, enquadrado em turmas escolares ou em família, tem um novo espectáculo a 13 e 14: ‘Bela Adormecida, uma versão muito particular do Teatro de Ferro. A mesma companhia orienta um workshop de construção e manipulação de marionetas.

Nos dias 20 e 21 de Abril, Vila Real recebe uma nova criação original produzida pelos Teatros de Bragança e Vila Real no âmbito do projectoAlgures a Nordeste, apoiado pelo Norte 2020. Este novo espectáculo, ‘TORGA’,tem como ideia nuclear dar a conhecer a paisagem geográfica, humana e poética de Trás-os-Montes, esse «Reino Maravilhoso», contraditório e desigual, partindo da obra de Miguel Torga, património indelével da cultura portuguesa. A produção artística está a cargo da companhia Teatro da Garagem.

Vinte e Sete em Vila Real encerra com ‘Contos do Bordel’, uma segunda edição do projecto ‘Curtas do Teatro Fora do Palco’ com três novas micro-peças a apresentar num percurso pelos bastidores do Teatro.

Menu