Filandorra encerra temporada de teatro em Montalegre

 Depois de mais de 150 actividades entre espectáculos, animações e oficinas de formação desde o início do ano, a Filandorra vai ”encerrar” a temporada no próximo dia 30 de Julho com a representação da peça Histórias da Vermelhinha de Bento da Cruz no interior do Castelo de Montalegre. A marcar o arranque do calendário festivo de verão da vila barrosã, este é o primeiro espectáculo de teatro a realizar no Castelo, “a  nova sala de visitas de Barroso” desde a sua reabertura ao público  em junho passado.

Histórias da Vermelhinha são a adaptação ao palco dos contos “proibidos” da tradição oral das terras do Barroso que Bento da Cruz reproduziu na obra com o mesmo nome e que serviu de base ao projecto “O Teatro e as Serras – Pólo de Criação da Serra do Barroso”, um dos vencedores da primeira edição do Orçamento Participativo de Portugal (OPP) na área da cultura/região norte, estreado em Montalegre no dia em que se assinalou o nascimento do escritor Bento da Cruz, a 22 de Fevereiro. Os contos populares do tempo “de menino e moço” de Bento da Cruz que alegravam as noites de inverno à lareira e alimentavam a “coscuvilhice” regressam agora à terra natal.  Em palco, as velhas e novas gerações vão (re)descobrir quinze da meia centena de contos que compõem a obra Histórias da Vermelhinha, respeitando a classificação do próprio autor: Histórias de Galegos, Histórias de Crítica Social, Histórias Eróticas e Histórias de Padres, numa visita ao vasto planalto encantado que em termos cénicos é desenhado em luz e som: a serra, os lobos a uivar, a neve, o estio, os guardas-fiscais, as pauladas… num jogo lúdico em que a dança e a performance corporal de todo o elenco vivifica a riqueza das personagens de “antanho”.

O espectáculo tem entrada gratuita e decorre do Protocolo de Cooperação entre a Filandorra e a Câmara Municipal de Montalegre nos domínios da formação e animação teatral, que continua a apostar na Companhia para a dinamização e sensibilização cultural das suas populações.

A Filandorra “regressa” aos palcos da região em Setembro, e em agenda tem duas novas estreias programadas no âmbito do Programa de Apoio Sustentado 2018-2021 | Teatro da DGartes/Ministério da Cultura: Frei Luís de Sousa de Almeida Garrett com encenação de David Carvalho no Museu Municipal Amadeo de Souza-Cardoso em Amarante, e Com o Amor não se brinca de Musset com Filipe Crawford como encenador convidado no Teatro de Vila Real.  

Menu