Filandorra – Teatro do Nordeste faz balanço da temporada de 2019

A temporada de 2019 fica marcada pela realização de 115 espetáculos/animações para um universo de cerca 30.000 espectadores, para além da realização de 40 oficinas de formação na área de teatro/animação de rua onde participaram professores, alunos e a comunidade “dos oito aos oitenta”. Nestes sete meses de trabalho e com o apoio da nossa rede autárquica protocolada, voltamos a afirmar o nosso papel na dinamização e sensibilização cultural das populações do interior do país promovendo a dramaturgia nacional e mundial. 

Em jeito de balanço, realçamos a Estreia Nacional em Residência Artística no concelho de Montalegre de Histórias da Vermelhinha de Bento da Cruz no âmbito do Orçamento Participativo de Portugal /2017, e com o apoio da DGartes/Ministério da Cultura a Estreia Nacional de Mestre Grilo Cantava e a Giganta Dormia de Aquilino Ribeiro em Sernancelhe, terra natal do escritor, um espectáculo para “miúdos e graúdos” que numa só semana foi visto por mais de 2.000 espectadores.  

Em parceria com os municípios da nossa rede protocolar, consolidamos o projecto CEDITES – Centros de Divulgação de Teatro para as Escolas, que permitiu a cerca de 5.000 alunos do interior o acesso a textos que integram o programa curricular da disciplina de Português, em particular dos textos vicentinos Auto da Barca do Inferno e Farsa de Inês Pereira.

Voltamos a aproximar o “fazer” teatral com as comunidades do interior do país, desafiando-as a intervir e participar nos processos de criação artística em projectos de recreação de lendas e animação de zonas históricas, a partir da linha de ação Teatro e Comunidade, com destaque para Mil Diabos à Solta em Vinhais, as lendas da Ponte de Misarela (Montalegre) e a lenda de Maria Alva pés de cabra, em Mêda.

Menu