Idosos do distrito reinventam os espantalhos

Está a decorrer, no Lar da Imaculada Conceição, em Lordelo, um concurso de espantalhos realizados por 11 lares do distrito. Uma iniciativa que teve como objetivo reavivar a tradição dos espantalhos, promover uma interação entre os utentes e desenvolver uma consciência ecológica. “Com esta iniciativa, nós temos um grande objetivo: manter as tradições dos nossos utentes. Eles falavam-nos muitas vezes dos espantalhos e decidimos reavivar essa tradição para eles”, explicou Catarina Morais, animadora sociocultural do Lar da Imaculada Conceição.

Os espantalhos, construídos a partir de materiais reutilizáveis e recicláveis, estão distribuídos pelo jardim da instituição e, todos eles, têm um grande sorriso acolhedor que até aos pássaros agrada. “O que os nossos utentes mais gostaram foi de reinventar os espantalhos. O objetivo do espantalho é assustar e eles ficaram um pouco apreensivos com a ideia, mas, depois, explicámos-lhes que tínhamos de fazer uns espantalhos fofinhos e acolhedores. No final, até diziam que o espantalho não assustava ninguém”, frisou a animadora sociocultural.

Com esta atividade criativa, criou-se uma competição saudável em que os idosos receberam a visita dos utentes doutras instituições, promovendo o convívio e desenvolvendo a consciência de que não são os únicos idosos a viver em lares.

Para votar, basta dirigir-se ao Lar da Imaculada Conceição, em Lordelo, ver os espantalhos e escolher “com o coração” aquele de que mais se gosta. Todos os espantalhos estão identificados com um número que deve ser escrito no papel a ser depositado na urna que se encontra na receção. Os participantes são: Lar Nossa Senhora das Dores – Vila Real; Lar Hotel – Santa Casa da Misericórdia Vila Real; Santa Casa da Misericórdia – Sabrosa, Centro Social e Paroquial S. Miguel de Lobrigos – Santa Marta de Penaguião; Fundação Luís Vicente – Santa Marta de Penaguião; Centro Social e Paroquial de Mateus; Vila Real Lar Bom Caminho do Calvão – Chaves; Associação Miguel Torga; Santa Casa da Misericórdia de Ribeira de Pena; Lar de São Marcos – Chaves e Casa do Povo Vilarinho dos Freires – Peso da Régua.

CR

Menu