PSD: Jorge Moreira da Silva apresentou as medidas para o interior em Vila Real

No passado dia 21 de maio, Jorge Moreira da Silva, candidato à liderança do Partido Social Democrata (PSD), esteve na sede concelhia do partido, em Vila Real, com o objetivo “de ter um diálogo com os militantes no âmbito desta candidatura”.

Assim, ao longo da sessão, abordou os dois grandes objetivos da sua candidatura: preparar um projeto para todo o país que “supere os problemas estruturais que confiscam o direito ao futuro” e modernizar o partido que, “não tem o problema identitário, mas sim de modernidade”.

Dentro do primeiro objetivo, enumerou, ainda, vários pontos a trabalhar, tais como: o crescimento medíocre do país, as desigualdades sociais, a falta de produtividade, a falta de coesão social e um problema sério no sistema de pensões que “não é sustentável”.

Já sobre o partido, sublinhou que é necessário efetuar mudanças ao nível programático, organizacional e ao nível da união do próprio partido.

País tem de encarar o interior “como uma vantagem”

Questionado sobre quais as propostas para o interior, Jorge Moreira da Silva começou por defender que o país tem de passar “de uma postura condescendente e assistencialista para uma lógica que encare o interior e a coesão territorial como uma vantagem para o país”. “Temos de questionar em que medida é que o país pode começar a tirar partido do interior”, frisou.

O candidato à liderança apresentou, assim, “soluções concretas”: posicionar os territórios do interior como regiões de liderança na transição digital, através do financiamento de banda larga e rede móvel no interior para acolher profissionais em teletrabalho e encarar estes territórios como fontes de eletricidade renovável e retribuir economicamente pelo serviço prestado. “Temos de passar a dar o verdadeiro valor às coisas e uma delas é o capital natural. É necessário olhar para a floresta não só como uma fonte de madeira, mas sim como uma infraestrutura que absorve dióxido de carbono e produz oxigénio. Isso tem de ter um valor e terão de ser concretizadas transferência financeiras para remunerar esses serviços do ecossistema”, concluiu Jorge Moreira da Silva, reforçando esperar que, com a sua liderança, o PSD “assuma esta causa primordial.

CR

Menu