Lançado concurso para projeto de Estabilização de Emergência de área ardida em 2017

A Câmara Municipal de Vila Real aprovou, em reunião do Executivo Municipal do passado mês de julho, o lançamento do procedimento concursal para a realização do projeto de Estabilização de Emergência da área ardida de 300 hectares, resultante do incêndio de 2017 e que afetou os territórios da União de Freguesias de Borbela e Lamas D’Olo e da União de Freguesias de Adoufe e Vilarinho da Samardã (vertente da Serra do Alvão voltada à cidade de Vila Real).

Este projeto, no valor de 30 mil euros, resultou de uma candidatura efetuada pela autarquia de Vila Real aos apoios comunitários disponibilizados pelo PDR 2020 e visam apoiar os seguintes investimentos: recuperação de infraestruturas afetadas; controlo da erosão, tratamento e proteção das encostas; prevenção de contaminação e assoreamento e recuperação de linhas de água; diminuição da perda de biodiversidade.

Para a autarquia, “estes trabalhos e tipologias de intervenção têm como objetivo minimizar o risco de erosão que resulta do desaparecimento da vegetação que reveste o solo após a sua destruição pelo incêndio, diminuindo assim a perda de fertilidade do solo através do arrastamento das partículas de solo pela escorrência da água das chuvas, assim como prevenir a ocorrência de fenómenos extremos de enxurradas que possam colocar em risco património natural e património edificado”.

É, assim, objetivo do município de Vila Real, em parceria com as entidades detentoras das áreas florestais afetadas (essencialmente baldios), “contribuir para a preservação dos espaços florestais do concelho de Vila Real, que a materialização deste investimento na recuperação daquela área ardida permitirá”. 

Menu