Mau tempo afetou 930 hectares de vinha na Régua. Autarquia pede intervenção do governo

A Câmara Municipal do Peso da Régua aprovou informação relativa aos prejuízos resultantes das intempéries dos últimos dias. O levantamento feito no terreno, em articulação com os Presidente das Juntas de Freguesia, identificou o lado nascente do concelho, nomeadamente a União de Freguesias de Poiares e Canelas e a União de Freguesias de Galafura e Covelinhas, como as mais afetadas, com prejuízos avultados na vinha, nos olivais, nas acessibilidades rurais e nos muros de suporte.

No que respeita à produção de vinho, o levantamento aponta para perda na ordem dos 50%. A isto acresce a destruição completa de novas plantações, que ainda não estavam aptas a produzir e que será necessário replantar.

A produção de azeite também foi afetada, verificando-se prejuízos avultados nos olivais.

Estima-se que o território afetado seja equivalente a 1220 hectares, dos quais 930 hectares são vinha (350 hectares na União de Freguesias de Poiares e Canelas e 580 hectares na União de Freguesias de Galafura e Covelinhas).

Considerando a produção média de 8 pipas por hectare, estima-se que, no que respeita à cultura de vinha, o prejuízo ronde os 2 200 000 Euros.

A Câmara Municipal do Peso da Régua deliberou dar conhecimento deste levantamento à Ministra da Agricultura, à Direção Regional da Agricultura e Pescas do Norte, aos Deputados eleitos pelo distrito de Vila Real e aos Grupos Parlamentares, com assento na Assembleia da República, solicitando ajuda para a mitigação dos prejuízos registados no concelho do Peso da Régua.

Paralelamente a esta posição da Câmara Municipal do Peso da Régua, a CIMDOURO, em representação dos 19 Municípios que a constituem, solicitou audiência à Ministra da Agricultura, com vista à avaliação conjunta dos enormes prejuízos registados e à definição de soluções urgentes adequadas às necessidades dos agricultores da Região.

Menu