Montalegre: autarquia lança projeto “Salvar o património, povoar o território”

A Câmara Municipal de Montalegre vai avançar com um projeto que visa salvaguardar o património existente de modo a atrair pessoas para o território. O despovoamento galopante é a razão desta tomada de posição que visa estancar a sangria que vem sendo notada nas últimas décadas. Nesse sentido, vai ser criada uma base de dados que irá fazer o cadastro de terras e casas devolutas que irão ter outra visibilidade e rentabilidade após colocação no mercado. Há já contactos com estrangeiros que querem vir povoar o território.
Colocar um travão na desertificação no concelho é a razão principal do mais recente desígnio da autarquia de Montalegre. Rotulado “Salvar o património, povoar o território”, o projeto, pioneiro no concelho, promete ser bandeira laboral para os próximos anos. O presidente da Câmara explica, em linhas gerais, o porquê desta aposta: «esta ideia é uma forma de dar vida às nossas aldeias, a todo o território barrosão que está em processo acelerado de despovoamento e de envelhecimento». Assim sendo, explica: «o imenso património, sobretudo imobiliário e rural – que está abandonado e que pode ser, inclusive, onerado em sede de tributação do IMI – pode ser recuperado, revitalizado e ser uma mais valia no sentido de atrair população ao território barrosão. Desta forma, pode ser povoado e ser enriquecido cultural, económica e socialmente dando vida às nossas emblemáticas aldeias».

Menu