Montalegre: inaugurada exposição “A loiça de Sacavém em Barroso”

Geral

Foi inaugurada na Casa do Capitão, polo do Ecomuseu de Barroso em Salto, a exposição “A loiça de Sacavém em Barroso”. São cerca de 60 peças da coleção particular de Elisabete Machado.

Trata-se de uma mostra que reúne centenas de peças de loiça doméstica, decorativa, de higiene, azulejos e documentos relacionados com a atividade da emblemática fábrica de loiça de Sacavém. Antigamente, na região do Barroso, a marca destas peças existia em praticamente todas as casas de família e em maior numero nas mais abastadas.

Orlando Alves, presidente da Câmara de Montalegre, destacou a importância da preservação destas peças: «a loiça de Sacavém tem marca e uma identidade muito fortes e hoje representa um património muito valioso». Na mesma linha, o autarca felicitou a autora da exposição e lembrou a relevância da preservação porque «o que é velho é valioso», estando ali patentes «peças com mais de 100 anos, ligadas à preservação da nossa identidade e cultura, com um valor patrimonial e artístico notável».

Por sua vez, Elisabete Machado revelou que tem «um fascínio e um interesse que são únicos em cada peça» e que vão desde «o carimbo e os desenhos até à sua utilização». Uma curiosidade que acabou por se tornar em colecionismo tendo atualmente cerca de duas centenas de peças na sua posse. Na exposição encontra-se os detalhes «lavoura» por se enquadrarem na temática do espaço.

A cerimónia pública contou com a presença do representante do Museu de Cerâmica de Sacavém e também da Associação dos Amigos da Loiça de Sacavém. O momento cultural foi enriquecido com um recital musical, de nome “Contemplação”, protagonizado por Sónia Alcobaça (Soprano) e Nuno Margarida Lopes (Piano). No encerramento foi servido o tradicional porto de honra.

Menu