Município de Valpaços duplica número de cabazes entregues a famílias

O Município de Valpaços vai atribuir 400 cabazes de Natal a agregados familiares que se encontram em situação de maior vulnerabilidade, proporcionando-lhes assim uma consoada mais digna e com um pouco mais de alegria.

Este ano, o Executivo Municipal liderado por Amílcar Almeida, face à situação pandémica e às dificuldades que a mesma está a provocar junto das famílias, com menores rendimentos, decidiu aumentar o número de cabazes a atribuir, que será o dobro do ano anterior, passando para 400.

Esta medida serviu também para reforçar o apoio ao comércio tradicional, onde foram adquiridos todos os bens que compõem os cabazes, cujo número também foi reforçado.

Como habitualmente, a seleção das famílias, a quem são atribuídos os cabazes, tem por base medidas de apoio social, promovidas pela autarquia e outras entidades parceiras como as juntas de freguesia.

A iniciativa tem como objetivo principal assinalar a época natalícia com bens alimentares próprios desta época às famílias mais necessitadas e com maior dificuldade em aceder aos mesmos.

A distribuição dos cabazes será efetuada até terça-feira, dia 22 de Dezembro, sendo certo que se alguma família estiver a passar por dificuldades e não tenha sido contemplada poderá sempre dirigir-se aos serviços da Ação Social da Câmara Municipal de Valpaços (antigo edifício dos Magistrados), na quarta-feira, dia 23 de Dezembro, das 9h00-12h30 e das 14h00 às 17h30. É propósito da autarquia que todas as familias que precisem de ajuda, sejam socorridas, seja durante esta época natalícia ou qualquer outra, por isso apela-se que se dirijam aos serviços de ação social sempre que se justifique.

De realçar que desde Março, aquando do início da pandemia, foram entregues cerca de 350 cabazes com bens de 1ª necessidade às famílias mais vulneráveis do concelho, 250 pedidos para aquisição/entrega de medicação com receita médica; centenas de refeições quentes a munícipes sem retaguarda familiar, infetados com Covid-19 ou em isolamento profilático; Mais de uma centena de acompanhamentos diários a utentes sem retaguarda familiar de proximidade e aos utentes que integram o Projeto PII (Proximidade ao Idoso Isolado) e “Projeto Afetos”;

Continuamos diariamente a assegurar estes e outros serviços à nossa população mais vulnerável e sem retaguarda familiar, em colaboração com Centro de Saúde, Unidade de Saúde Pública, Segurança Social, Proteção Civil, GNR, Cruz Vermelha e IPSS’s do concelho.

Menu