Município de Vila Real pede ajuda ao Ministro do Ambiente para resolver poluição no Rio Corgo


O Município de Vila Real, através da vereadora com o pelouro do Ambiente, Mafalda Vaz de Carvalho, remeteu um ofício ao Ministro do Ambiente, Matos Fernandes, a propósito das descarga de poluição no Rio Corgo.

Nesse documento, a vereadora refere que tem recebido inúmeras queixas, por parte dos munícipes, relativamente a descargas indevidas em diversos cursos de água do concelho (Rio Corgo, Rio Cabril, Ribeira de Toirinhas, etc.) e que a autarquia tem recorrido às autoridades competentes, nomeadamente à PSP e ao SEPNA-GNR, auxílio na resolução do problema. Todavia, foram feitas averiguações pelas autoridades que não permitiram detetar a origem das descargas verificadas e, por conseguinte, todas levaram à mesma conclusão, ou seja, “não se verifica qualquer tipo de anomalia que configure crime ambiental”.

Nesse documento, foram ainda anexadas uma das denúncias feita por uma munícipe e a respetiva resposta apresentada pela PSP do Comando Distrital de Vila Real, na qual, apesar do registo fotográfico que complementa a referida resposta evidencia as manchas de espuma, é dito que as diligências efetuadas foram “infrutíferas”, posto que não se verificou “qualquer tipo de anomalia que leve à conclusão de estarem perante descargas ilegais que configurem crime”.

Após o acima exposto, a Mafalda Vaz de Carvalho declara que a autarquia recebeu, hoje, uma nova denúncia, já encaminhada para as autoridades, de uma mancha de espuma no Rio Corgo que terá levado à morte de alguns espécimes. Uma queixa que ilustra o facto da revolta e indignação dos munícipes estar a crescer. Um sentimento generalizado na população, que “tem acentuado a preocupação [do] Município face à incapacidade de resposta/soluções” e que o levou a pedir a orientação do Ministro do Ambiente, para indicar “outros meios” para encontrar uma solução que conduza à resolução deste problema ambiental. Mafalda Vaz de Carvalho concluiu, sublinhando que a autarquia está disponível para colaborar naquilo que lhe for possível para conseguir, de forma assertiva, detetar e agir com a celeridade necessária nestas situações.

Menu