Museu do Douro reabre ao público no seu horário habitual


O Museu do Douro reabre portas na próxima segunda-feira, Dia Internacional dos Museus, apostando numa nova forma de interagir com os visitantes. “Como museu do território, vamos fazer prevalecer esse mesmo território. Sempre que possível, vamos reprogramar para os espaços exteriores. Durante todo o dia, a entrada no Museu será gratuita.

Não descurando, claro, as nossas exposições e trabalho no interior da instituição”, refere Fernando Seara, Diretor do Museu do Douro. Apostando muito fortemente na segurança dos funcionários e visitantes, o Museu do Douro encara esta fase a que o mundo está sujeito, como uma oportunidade de ser mais interveniente na comunidade. “Como é que o Museu pode contribuir para uma vida de mais cultura? É uma questão que colocamos. Queremos levar a cultura, as exposições, para as praças públicas, para os centros históricos, para os jardins… Queremos atrair pessoas para a região do Douro”, reitera o diretor.

A abertura do Museu coincide com o Dia Internacional dos Museus, este ano sob o tema “Museus para a Igualdade: Diversidade e Inclusão”. Nesse sentido, o Museu do Douro propõe-se celebrar este dia lançando um desafio à população em geral, mas igualmente às instituições envolvidas no terreno.

Enquanto instituição de memória, e com um importante fundo arquivístico, o Museu pretende recolher para o futuro documentos e testemunhos associados à vida dos durienses neste desconhecido tempo. Sejam de origem institucional, produzidos por Câmaras, Juntas de Freguesia, Escolas, sejam testemunhos na primeira pessoa, como fotos, vídeos, poemas, diários. A ideia é criar um fundo arquivístico que fique como memória para as futuras gerações de como a região viveu este período: o confinamento, a necessidade de adaptação familiar, o teletrabalho, ensino em casa, continuar as atividades normais do mundo rural (a natureza não pára), etc. Queremos documentar o confinamento, mas igualmente os seus efeitos na vida da região. O que mudou, as práticas sociais, agrícolas, etc.

Porque os efeitos irão prevalecer, o desafio será mantido até ao próximo Dia Internacional dos Museus de 2021, para auferir como vai ser a vindima, como estão os produtores a vender os vinhos e os lojistas a manter os seus comércios.

Os testemunhos podem ser enviados através de correio, para o endereço do Museu, através do correio eletrónico geral@museudodouro.pt ou mesmo no próprio Museu. Todos estes materiais ficarão em arquivo e, futuramente, permitirão fazer uma exposição que testemunhe este período tão excecional da nossa história.

No dia 18 de maio, o Museu do Douro vai ainda participar numa videoconferência organizada pela Associação dos Municípios do Vinho, sobre “Os Museus e a Promoção dos Territórios”, em parceria com a Associação das Rotas do Vinho de Portugal e o Museu do Douro.

Menu