O Entrudo mais genuíno sai à rua em Lazarim

A pequena vila de Lazarim, no concelho de Lamego, vai voltar a acolher o Entrudo mais genuíno do país, recriando um ambiente de folia e confraternização sem igual. As máscaras, esculpidas em madeira de amieiro por artesãos da freguesia, descem à rua para recuperar a memória histórica das suas gentes e projetar Lamego em todo o mundo. Passadas tantas décadas, este Entrudo mantém-se o símbolo do sentir e da arte popular desta povoação, sempre em respeito pela autenticidade e pela tradição.

De 2 a 5 de março, o programa de atividades desta original manifestação cultural promete atrair um grande número de curiosos. Organizado em parceria pela Junta de Freguesia de Lazarim e pela Câmara Municipal de Lamego, com o apoio do Centro Interpretativo da Máscara Ibérica (CIMI), haverá este ano muita animação de rua e barraquinhas. Quem visitar a vila de Lazarim também poderá ver caretos à solta de grupos convidados, participar num raid fotográfico e admirar um concurso de máscaras e trajes. Tudo isto para manter bem viva esta tradição ancestral.

A leitura pública dos testamentos na tarde de terça-feira de Carnaval é o ponto alto dos festejos. Redigido em segredo pelos jovens da vila, atrai todos os anos uma multidão para escutar atentamente a herança da “comadre” e do “compadre”. A tradição manda logo a seguir queimar dois bonecos de pano que representam os compadres, um ato que simboliza a expulsão dos maus pensamentos e a purificação das mentes. No final, é oferecido à população o tradicional caldo de farinha e a feijoada.

Recorde-se que a Câmara Municipal de Lamego está a candidatar estas máscaras a Património Cultural Imaterial da Humanidade com o objetivo de preservar uma tradição que assume maior protagonismo nesta altura e que constitui uma representação única de encenações antigas da cultura portuguesa. 

Menu