“Os Verdes” exigem a “urgente requalificação” da Escola Secundária Camilo Castelo Branco

O Partido Ecologista “Os Verdes” (PEV) entregou, na Assembleia da República, um Projeto de Resolução, no qual recomenda ao Governo que diligencie no sentido de dar urgência à concretização das obras de modernização e requalificação da Escola Secundária Camilo Castelo Branco, em Vila Real.

O PEV quer o Governo garanta o financiamento da requalificação da Escola Secundária Camilo Castelo Branco, de modo a “devolver à comunidade escolar condições de conforto, segurança e salubridade e calendarize e torne públicas todas as fases de concretização das obras necessárias à requalificação da ESCCB”.

Existente desde 1848, recebeu em 1914 a designação de Liceu Central de Camilo Castelo Branco, “tendo em consideração o alto valor intelectual e educativo do grande escritor”.

Em 1978, face ao aumento da população escolar após o 25 de Abril, houve a necessidade de construir um pavilhão pré-fabricado que permitisse acrescentar salas de aula. No entanto, apesar do seu caráter provisório, este equipamento ainda se mantém em funcionamento. O edifício anexo é composto por quinze salas de aula, uma Sala de Acompanhamento ao Aluno (SAA) e uma Sala de Professores.

O Projeto Educativo da ESCCB contempla o 3º Ciclo do ensino básico, o secundário e o ensino profissional, dando resposta articulada com outras escolas da cidade e promovendo a participação da escola no Programa Intercultura AFS (Educação não-formal para uma Aprendizagem Intercultural e Educação Global), filiado na UNESCO.

A par dos cursos científico humanísticos: Ciências e Tecnologias, Línguas e Humanidades e Artes Visuais, a escola oferece o Cursos de Artes Visuais e Ensino Articulado (para os alunos que frequentam o Conservatório Regional de Música de Vila Real).

Esta é, ainda, “escola de referência para alunos cegos ou de baixa acuidade visual” e “escola de referência para o ensino recorrente”, dando também resposta ao ensino do português para imigrantes, através do Programa Português para Todos.

Apesar de algumas obras de recuperação e instalação de aquecimento central no pavilhão pré-fabricado, a ESCCB carece de uma urgente intervenção, por forma a modernizar o seu edificado, atendendo ao elevado estado de degradação em que se encontram as instalações e os equipamentos.

De entre as prioridades identificadas no edifício principal, espaços comuns e edifício anexo está a eficiência energética, nomeadamente, ao nível do sistema de climatização e da estanquicidade das caixilharias que constituem aspetos críticos para garantir o conforto e dignidade nas condições de trabalho e ensino, para cerca de 1.200 alunos, 101 professores e 34 funcionários.

Equipamentos essenciais para a prática desportiva e balneários condignos, modernização do bar e cantina, instalações de eletricidade e saneamento essenciais para garantia de condições de segurança e salubridade estão entre as obras urgentes.

Menu