“Presépio Vivo” recriado por mais de 80 figurantes em Poiares

Geral

No próximo domingo, poderá visitar o “Presépio Vivo”, recriado no Colégio Salesiano de Poiares, no Peso da Régua, com mais de 80 figurantes que dão vida a cenas bíblicas que antecedem o nascimento de Jesus e os ambientes típicos daquela época. No primeiro dia da iniciativa, os visitantes fizeram fila para fazer o percurso que representa uma viagem no tempo onde têm lugar de destaque o anjo que anuncia o nascimento do Menino Jesus, os três Reis Magos, José e Maria.

A preparação dos cenários, que se estendem ao longo dos corredores e do pavilhão do Colégio de Poiares, começou no início de novembro e obrigou, segundo um dos dinamizadores da iniciativa, Francisco Batista, “a muitas e muitas horas de trabalho”. “Temos aqui funcionários, professores e alunos do Colégio, mas também pessoas das aldeias vizinhas”, explicou.

Este ano, Sandrina Vieira, de 18 anos, é figurante na padaria, mas já esteve no mercado e já vestiu a pele de anjo. “Este ano está a ser mais interessante porque posso conviver com as pessoas que passam aqui”, conta a antiga aluna do Colégio, que continua a fazer questão de participar na iniciativa. Já Fábio Tavares, de 13 anos, é estreante. Já tinha visitado o Presépio Vivo em anos anteriores e agora decidiu participar como um dos reis magos. “É uma experiência nova e engraçada”, sublinhou.

Margarida Batista segurou um “Menino Jesus” adormecido que mal deu pela passagem dos visitantes. “Porta-se muito bem”, afirmou a figurante que deu vida a “Maria”. Participa desde o primeiro ano da iniciativa e enaltece a entreajuda entre os participantes. “Está tudo pronto a ajudar. Este ano temos mais personagens e mais cenários”, acrescentou.

O diretor do Colégio de Poiares, José Cordeiro, explicou que a iniciativa surgiu em 2010 pela mão do grupo de jovens “Fé e Obras”. “Já vamos na sétima edição. Vamos aumentando os quadros e criando cenas novas para podermos sempre algo novo para mostrar”, revelou José Cordeiro, que sublinhou que a iniciativa “une a comunidade escolar às pessoas” que vivem perto do estabelecimento de ensino.

Menu