Produtora vila-realense cria azeite que é a alma do Douro

Eva Cabral, nasceu em Vila Real, mas as suas raízes estão cravadas na terra de Castedo do Douro. Nesta paisagem de socalcos, encontrou a sua ligação há terra que corre nas veias da família há mais de quatro gerações.

De facto, quando questionada sobre o lançamento da marca de azeite “almatolia”, Eva explica que não começou nada, mas que simplesmente deu continuidade “a alguma coisa que tem vindo a ser feita ao longo de várias gerações”. “Já há várias gerações que temos o azeite na família, era produzido e consumido na casa, decidimos apenas criar uma marca e lançá-la no mercado, numa tentativa de dar o nosso contributo para a valorização de um produto do Douro que tem, a nível nacional, ainda, pouco nome. Também é uma forma de continuar a preservar os olivais tradicionais que estão cada vez mais ameaçados, em todo o país”, acrescentou.

“Almatolia”, um azeite com caráter duriense

No seguimento da criação da marca, em 2019, foi lançada a primeira produção que, sem sombra de dúvida, se destaca do azeite tradicional através do seu aroma complexo, que reúne várias sensações com sabor frutado, amargo e picante, à medida que vais sendo degustado. Este caráter, fez com que o “almatolia” fosse galardoado num concurso em Berlim, com a medalha de ouro, em 2019, e de prata, em 2020. “Optámos por esse concurso, porque é um dos poucos que admite pequenos produtores e esta medalha veio provar que, comparativamente a outros azeites do mundo, o “almatolia” e os azeites do Douro não ficam nada atrás”, destacou a responsável.

(…)

Reportagem completa na edição nº 775 do Notícias de Vila Real

Menu